Saiba como tirar o melhor partido do seu frigorífico para poupar no consumo de energia e na fatura da eletricidade.

Apesar de não ter uma potência elevada, o frigorífico é um dos eletrodomésticos de uma casa que mais energia consome, uma vez que está 24 horas por dia ligado, todos os dias do ano. E esse consumo energético é tanto maior quanto mais baixa for a classificação do seu frigorífico: por exemplo, um aparelho de classe C consome muito mais do que um de classe A+.

Assim sendo, o primeiro passo para consumir menos energia e poupar na carteira ao final do mês é, claro, substituir o frigorífico por um de classe superior (idealmente entre A e A+++). Mas há outros gestos que deve tomar para tornar o seu frigorífico mais eficiente e conseguir diminuir a conta ao final do mês.

COLOQUE O FRIGORÍFICO NO LOCAL CERTO

Se pensa que o sítio onde põe o seu frigorífico ou a temperatura exterior não têm influência no que se passa no interior do aparelho, desengane-se. A colocação do frigorífico num local que não reúna as condições ideais para o seu bom funcionamento, pode fazer com que o consumo de energia do aparelho aumente até 30%.

Durante o verão, mesmo um equipamento de boa qualidade e bem isolado, tem algumas dificuldades em estabilizar a temperatura interna e o facto de estar constantemente a tentar, faz com que seja consumida muito mais energia. No inverno, pelo contrário, o consumo de energia é menor porque é mais fácil para o frigorífico conseguir estabilizar a sua temperatura interior.
Assim, o ideal é instalar o seu aparelho num local fresco e ventilado, afastado de possíveis fontes de calor, como o forno e o fogão ou até a radiação solar. Nos dias mais quentes, tente manter os estores ou persianas da cozinha fechados para que a entrada de calor seja menor.

Utilize o aparelho de forma eficiente

A forma como utilizamos o frigorífico é fundamental para determinar a quantidade de energia que este consome: uma utilização mais cuidada e com regras fará, obviamente, com que o consumo energético seja muito menor. Nesse sentido, há alguns fatores que devem ser tidos em conta na hora de usar o frigorífico:

Regule o termostato

Ter a temperatura errada no frigorífico e no congelador é meio caminho andado para uma fatura de eletricidade mais elevada ao final do mês. O termostato, responsável por controlar a temperatura do aparelho, deve estar regulado para valores entre os 3ºC e os 5ºC no frigorífico: a temperatura mais baixa durante o verão e a mais alta para os dias mais frios, para evitar perdas de energia. Já no caso do congelador, a temperatura não deve ser inferior a -18ºC, já que, abaixo disso, o consumo energético aumenta entre 1% a 2% por cada grau a menos.

Evite abrir muitas vezes a porta

A quantidade de vezes que se abre a porta do frigorífico tem um grande impacto no consumo de energia do aparelho. Quando a porta está aberta, o ar quente entra no frigorífico e o ar frio sai, fazendo com que a temperatura no interior aumente e, consequentemente, o frigorífico terá que consumir mais energia para voltar a estabilizar a temperatura. Ter a porta aberta durante 10 segundos faz com que o consumo energético aumente entre 0,2 a 0,8%.

Assim, evite abrir várias vezes e por tempo prolongado a porta do seu equipamento, pensando com antecedência em tudo o que vai precisar de retirar de lá. Da mesma forma, organize primeiro todas as suas compras, abrindo, só depois, a porta do frigorífico para guardar tudo de uma vez. E, claro, certifique-se que a porta fica mesmo fechada.

Verifique as borrachas da porta

Limitar a quantidade de vezes e o tempo que se tem a porta do frigorífico aberta não vai adiantar de muito se este não estiver bem isolado e vedado. Dessa forma, deve verificar regularmente se as borrachas da porta do seu equipamento estão em bom estado e há um simples teste que pode fazer: entale uma folha de papel na porta e puxe-a. Se não sentir resistência e a folha sair facilmente, então é porque as borrachas não estão a isolar corretamente, deixando entrar calor e obrigando o frigorífico a fazer um esforço extra. E, claro, gastar mais energia. Aderir ao plano Funciona garante-lhe assistência disponível sempre que o seu frigorífico (ou outro eletrodoméstico) tiver problemas.

Controle a quantidade de coisas que põe no frigorífico

Os equipamentos de refrigeração não devem estar demasiado cheios nem demasiado vazios, pois isso afeta o seu funcionamento. Um frigorífico repleto de coisas faz com que o ar deixe de circular livremente e um demasiado vazio leva a perdas de energia - isto porque a existência de uma maior quantidade de ar que o suposto leva o frigorífico a consumir mais energia para tentar refrigerar esse mesmo ar. Este segundo caso pode ser evitado - por exemplo, quando vai de férias e o aparelho está, necessariamente, mais vazio - colocando algumas garrafas de água ou sumo no frigorífico. Se a ausência for prolongada, o ideal é esvaziar e desligar o equipamento.

Guarde os alimentos de forma correta

Apesar de, à primeira vista, poder parecer irrelevante, a maneira como guardamos os alimentos no frigorífico desempenha um papel importante no consumo de energia do mesmo. Por isso, devem ser seguidas algumas regras na altura de arrumar tudo:

Os alimentos devem estar embalados

Tudo o que coloca no frigorífico deve estar embalado ou arrumado em caixas. Desta forma, para além de ficarem mais protegidos de bactérias e de não libertarem odores desagradáveis, também não produzem humidade, que faz com que o frigorífico tenha de trabalhar mais para a eliminar.

Nem tudo deve ser guardado no frigorífico

Apesar de grande parte dos legumes e das frutas deverem ser conservados no frio, há alimentos que, pelas suas características, podem ser guardados em armários ou em espaços escuros e frescos. É o caso dos ovos, das batatas, cebolas, bananas, laranjas, abacates e abacaxis.

Distribua os alimentos corretamente

Sim, existe uma forma certa de distribuir todos os alimentos pelas prateleiras do frigorífico de forma a que este funcione da maneira mais eficiente possível:

  • Prateleiras superiores e do meio: aqui deve guardar laticínios, charcutaria e alimentos já confecionados, uma vez que é onde a temperatura é menor
  • Prateleiras seguintes: guarde as frutas e os legumes, mas sem os misturar, já que a fruta produz um gás que acelera o amadurecimento dos vegetais
  • Prateleiras de baixo: estas devem ser reservadas para a carne e para o peixe, de forma a não verterem líquidos para os outros alimentos
  • Porta do frigorífico: este é o local do frigorífico onde há maior variação de temperatura, por isso deve evitar pôr lá alimentos como leite ou iogurtes. Em vez disso, use a porta para guardar água, sumos ou alguns temperos

Evite guardar comidas quentes

Guardar alimentos quentes no frigorífico, como sopas ou restos de refeições, faz com que o consumo diário de energia aumente entre 10% a 15%. Isto acontece porque, ao pôr comidas ainda quentes no frigorífico, a temperatura interior vai aumentar, os outros produtos podem aquecer e o aparelho será obrigado a fazer um esforço energético maior. Assim, é preferível que deixe a comida arrefecer antes de a guardar.

Descongele alimentos no frigorífico

Antecipar as suas refeições é uma boa forma de poupar energia. Retire os ingredientes que vai precisar antecipadamente do congelador e, em vez de os deixar descongelar à temperatura ambiente, coloque-os no frigorífico. O frio libertado pelos alimentos vai ajudar a refrigerar o aparelho, reduzindo em cerca de 2% o consumo diário de energia.

Limpe o frigorífico regularmente

A limpeza regular do frigorífico é importante para manter o equipamento em boas condições de funcionamento. Não precisa de o limpar todas as semanas, mas deve fazê-lo com alguma frequência, quer no interior, quer no exterior:

Mantenha as grelhas limpas

As grelhas do frigorífico devem ser limpas, pelo menos, uma vez por ano e mantidas sem pó ou pêlos de animais, já que a acumulação de resíduos faz com que o consumo de energia aumente entre 8% a 15%.

Descongele o equipamento

O frigorífico deve ser descongelado antes que a camada de gelo atinja três milímetros de espessura, conseguindo, dessa forma, poupanças até 30% no consumo de energia. No entanto, a frequência com que o faz irá depender bastante do tipo de frigorífico que tem em casa:

  • No Frost: como este sistema não acumula gelo, não precisa de fazer descongelações periódicas
  • Low Frost: tem pouca acumulação de gelo, mas ainda assim implica fazer algumas descongelações ao longo do tempo
  • Estático: precisa de cerca de duas descongelações por ano
  • Ventilado: exige uma descongelação periódica

Faça limpezas aprofundadas ao interior

De vez em quando é necessário fazer uma limpeza a fundo ao interior do frigorífico. Pode aproveitar alturas de ausência mais prolongada (pelo menos cinco dias), como por exemplo imediatamente antes de ir de férias, para fazer essa tarefa e deixar o equipamento desligado, uma vez que a energia que se poupa durante esses dias compensa aquela que será necessária para voltar a arrefecer o frigorífico até à temperatura ideal. Só precisa de o esvaziar, desligar da tomada e limpar.

Além de todos estes cuidados, e como já referido, é fundamental começar por escolher o frigorífico ideal para a sua casa.

Descubra os frigoríficos mais eficientes que selecionámos para si.