Perguntas Frequentes

Pesquisar
Voltar

Quando é necessário realizar uma inspeção de Gás e o que tenho de fazer?

Existem situações específicas em que é necessário realizar uma inspeção de gás. Saiba em quais e o que tem de fazer.

Quando é necessário realizar uma inspeção de Gás e o que tenho de fazer?

Existem situações específicas em que é necessário realizar uma inspeção de gás. Saiba em quais e o que tem de fazer.

Quando é necessário realizar uma inspeção de Gás?

As inspeções periódicas devem ser realizadas de:

  • Novos contratos de gás para que se inicie o fornecimento de gás ou seja feita uma religação após uma interrupção (estão excluídos os novos contratos por alteração de comercializador);
  • Alteração de titularidade do contrato de gás;
  • Fugas de gás;
  • Conversão para gás natural;
  • Alteração de tubagens no interior dos fogos ou nas partes comuns do edifício.

Deve realizar uma inspeção de gás sempre que:

  • 5 em 5 anos: em instalações com mais de 20 anos;
  • 3 em 3 anos: em instalações industriais com consumo anual superior a 50.000 m3 de gás natural ou equivalente noutro gás;
  • 2 em 2 anos: em instalações de gás na restauração, hotelaria, escolas, hospitais, estabelecimentos públicos ou particulares com capacidade superior a 250 pessoas.

O que tenho de fazer?

No momento da inspeção, o cliente deve garantir que:

  • os contadores de eletricidade e de água estão ligados;
  • os aparelhos estão preparados para receber gás natural e estão ligados à instalação;
  • o exaustor deve estar a funcionar durante o horário da visita para a inspeção;
  • Se instalou recentemente um novo sistema de aquecimento central a gás ou um novo equipamento a gás (caldeira, esquentador ou outro), deve garantir ainda a presença do técnico da empresa instaladora para que se possa realizar o teste de monóxido de carbono (CO).

Esta resposta ajudou?

Porque é que esta resposta não ajudou?

Estamos disponíveis

Fale connosco caso não encontre resposta às suas dúvidas

Voltar ao topo

© Copyright 2021 - EDP Energias de Portugal. Todos os direitos reservados.