Basta pôr em prática as seis dicas que aqui lhe deixamos. Se as seguir, poupa na fatura da energia e tem práticas mais sustentáveis. A sua carteira e o ambiente agradecem.

Se tem um termoacumulador ou cilindro, como também é conhecido, fez um bom investimento quer para a sua carteira, quer para o planeta. Além de ter um custo inicial mais baixo do que outras soluções para o aquecimento de águas sanitárias, os termoacumuladores, apesar de terem um custo de manutenção maior, estão também cada vez mais inteligentes, o que significa que têm uma maior eficiência energética e, consequentemente, ajudam-no a poupar mais na fatura da energia.

Os termoacumuladores inteligentes, por exemplo, que memorizam os hábitos de toda a família, aquecendo a água apenas quando é necessário, têm classe energética B, a mais alta para os termoacumuladores elétricos, podem reduzir em 30% o consumo da água e poupa até 15% de energia para aquecer a água.

Mas seja qual for o seu termoacumulador, esta é uma das melhores opções para quem não tem gás natural em casa. Estes reservatórios de água aquecida e pronta a usar, funcionam a energia elétrica e a água é aquecida através de uma resistência elétrica. Tendo em conta que 40 litros é o volume adequado a calcular por pessoa, há dicas que podem ajudá-lo a tirar maior partido do seu termoacumulador, de forma a poupar ainda mais.

1. Controle o consumo mensal com a ajuda de um relógio

Para os termoacumuladores que não têm gestão de controlo incorporada, pode programar o termoacumulador com a ajuda de um relógio analógico ou digital, para colocar na tomada ou, se possível, no quadro elétrico, no circuito dedicado ao termoacumulador.

Se tiver tarifa bi-horária, deve programar o relógio para que o termoacumulador só esteja ligado durante a noite. Assim, de manhã terá água quente disponível para os banhos.

Também o pode programar umas horas antes de tomar banho (o número de horas varia em função da capacidade e potência do equipamento) e ainda para a tarifa bi-horária, se a tiver contratada. Se deixar o termoacumulador ligado durante todo o dia, o sistema continuará sempre a aquecer a água, sem necessidade para tal. No entanto, tenha atenção à potência máxima suportada pelo relógio. Se investir num relógio com potência máxima de 2 kW e o termoacumulador tenha uma potência de 2,5 kW, o tempo de vida útil do relógio será curto.

Estas dicas também valem para os termoacumuladores inteligentes, embora não tenha de fazer o investimento no relógio, uma vez que já vem incorporado.

2. escolha o modo Económico 

Para aparelhos equipados com termóstato e posição “Eco”, que ajustam automaticamente o seu funcionamento aos hábitos de consumo de sua casa, regule sempre  no modo económico.

Caso não tenha esta função, tente regular a temperatura o mais próximo possível da utilização do equipamento. Os termoacumuladores sem regulação de temperatura irão fornecer água sempre à mesma temperatura, enquanto os modelos inteligentes ajustam a temperatura de forma automática.

3. Adapte a temperatura ao longo do ano

Deve ajustar a temperatura do equipamento à estação do ano: no verão recomenda-se os 55.ºC, já no inverno aumente para os 60.ºC. Desta forma, poupa no consumo da água e da energia, uma vez que só utiliza água quente, sem ter necessidade de misturar com água fria. A temperatura nunca deve ser inferior a 55.ºC para prevenir o aparecimento da legionella nos sistemas de água.

4. Vai de férias? desligue o termoacumulador

Sim. Se for de férias ou se ausentar de casa durante períodos de tempo consideráveis, deve desligar o equipamento. Caso a ausência seja superior a um mês, deve, por segurança, regular o termoacumulador para uma temperatura mais elevada, entre os 60 e os 65.ºC, para eliminar qualquer vestígio da legionella. Quando regressar, basta voltar a programar o aparelho para a temperatura normal.

5. Faça a manutebção regular do termoacumulador

Para prolongar a vida útil do seu termoacumulador e tirar máximo partido do mesmo, é muito importante que faça a manutenção do seu equipamento de 2 em 2 anos. Este tipo de intervenções deve ser sempre realizada por um técnico especializado. Saiba aqui todos os cuidados que deve ter com o termoacumulador.

6. Escolha torneiras e chuveiros eficientes

Instale ainda torneiras e chuveiros eficientes, que permitem reduzir o caudal de água e que, apesar de mais caros, irão também contribuir para uma poupança a longo prazo, garantindo uma maior eficiência também do seu termoacumulador.

Agora que já conhece os truques para melhorar a eficiência do seu aparelho, ponha-os em prática. Acredite que verá, no imediato, uma poupança considerável na fatura da sua energia e dará o seu contributo à eficiência energética enquanto cidadão.

7. Combine painéis solares com o termoacumulador

Se tiver essa possibilidade, combine o termoacumulador com a instalação de painéis fotovoltaicos. Esta fonte de energia renovável garante-lhe entre 60 a 80% da energia necessária para o aquecimento da água durante um ano. Será um investimento seguro e altamente compensado, no que toca à poupança da fatura energética.

PROCURA O TERMOACUMULADOR IDEAL PARA SI?

Pode optar por um termoacumulador inteligente, cujo funcionamento é simples e gera poupanças na ordem dos 15%. Mas se pretende uma opção ainda mais eficiente, pode escolher um termoacumulador híbrido, que poupa até 50% no consumo de energia elétrica.  Descubra aqui todos os equipamentos que temos para si.

Caso ainda tenha dúvidas sobre estas e outras soluções de aquecimento de água, esclareça-as aqui.