TER A casa QUENTE NO INVERNO E FRESCA NO VERÃO NÃO DEPENDE APENAS DO SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO. SE NÃO TIVER UM BOM ISOLAMENTO, ESTARÁ SEMPRE A GASTAR DEMASIADO EM ENERGIA E NÃO IRÁ SENTIR A SUA CASA CONFORTÁVEL.

Com longos meses de sol e temperaturas amenas, Portugal regista no outono e no inverno o lado negativo desse clima aparentemente mais favorável. Seja por causa de uma construção menos cuidada durante décadas, seja por falta de condições financeiras para investir em climatização, cerca de um quinto dos portugueses têm dificuldades em aquecer a sua casa durante os meses frios. E muitas vezes nem se trata de instalar um aquecedor ou ar condicionado. Um bom isolamento térmico é um passo fundamental para uma casa mais confortável.

O primeiro regulamento sobre comportamento térmico de edifícios em Portugal é de 1990. Casas anteriores a esse ano que ainda não tenham sofrido obras, provavelmente não têm isolamento.

Isolar bem a casa deve mesmo ser uma decisão anterior - ou pelo menos paralela - a outros gastos com equipamentos de aquecimento. Isso porque divisões mal isoladas, seja nas paredes, tetos ou portas e janelas, vão sempre causar perdas de eficiência térmica e exigir mais gastos de energia para aumentar ou baixar a temperatura.

ONDE SE PERDE O CALOR, OU FRIO, NUMA CASA?

Uma moradia tem maiores necessidades de isolamento do que um apartamento, uma vez que enfrenta os efeitos do clima de todos os lados, principalmente do telhado. Num bloco de apartamentos a maioria das paredes - bem como o chão e o teto - estão em contacto com outras frações ou prédios, deixando apenas a fachada mais exposta, ou a parte de trás do edifício.

No entanto, as paredes que estão voltadas a exterior e as portas ou janelas são suficientes para provocar arrefecimento no inverno e uma temperatura excessiva no verão, mesmo num pequeno apartamento. Portas e janelas representam cerca de 20% das perdas de calor de uma casa, e 25% a 30% as paredes e divisórias.

O telhado, nas vivendas ou nos apartamentos em contacto mais direto com ele, também pode causar perdas de calor acima de 30% no inverno, e tornar essas habitações extremamente quentes no verão, se não tiverem um bom isolamento.

O chão é a zona que tem menos efeito no conforto térmico, ainda assim o isolamento do piso ajuda a minimizar as perdas térmicas, já que o isolamento ajuda a reter o calor e o frio, contribuindo também assim para um maior conforto térmico e menos gastos de energia.

ISOLAMENTO: VANTAGENS NÃO APENAS NO CONFORTO TÉRMICO

O conforto nos meses frios, e a poupança energética conseguida, são as principais razões que levam as pessoas a apostarem no isolamento das suas habitações. Mas as vantagens desse investimento não se ficam por aí. Desde a saúde da família ao cuidado com o planeta, isolar a casa traz benefícios a diversos níveis:

  • Conforto na casa, mais quente no inverno e fresca no verão;
  • Menos despesas de energia para atingir a temperatura desejada;
  • Melhor insonorização e privacidade, particularmente em prédios antigos e vizinhos em todas as direções;
  • Ar mais limpo, menos entrada de partículas nocivas, poluentes ou que provocam alergias;
  • Redução dos níveis de humidade e de condensação, menos risco de infiltrações;
  • Menos emissões poluentes e gases de efeito de estufa, graças ao reforço da eficiência energética;
  • Possibilidade de ter espaço extra para uma utilização regular, e não apenas como arrecadação, quando se isola bem um sótão, um anexo ou uma cave;
  • Proteção acrescida contra o fogo, que tem uma progressão mais lenta entre divisões e menos fumo;
  • Melhor preservação da casa em geral, seja as paredes, estruturas de madeira ou tubagens e estruturas metálicas em geral.

ONDE SE PODE MELHORAR O ISOLAMENTO DE UMA CASA?

No momento de construir ou fazer uma renovação profunda em casa, é muito mais fácil enquadrar o isolamento nas obras. Mas mesmo numa casa que está a ser habitada é possível isolar melhor determinadas áreas ou divisões.

Um isolamento de paredes ou teto pelo interior - na prática uma camada de material isolante que se tapa depois com painéis a servir de parede - é mais simples do que fazer isso do lado de fora, no entanto, reduz alguns centímetros às dimensões da divisão onde se está a intervir.

Telhado, sótão, teto

Sendo um dos locais que mais influencia a temperatura da casa, é o alvo mais importante de uma inspeção e de investimento em termos de isolamento. Numa intervenção mais abrangente, colocar o isolamento entre o telhado e a estrutura que o suporta permite melhorar o conforto sem alterar a estética. No entanto, também se pode isolar o sótão pelo interior, ‘roubando’ apenas alguns centímetros à altura.

Nos casos em que o sótão é mesmo inacessível, a solução passa por isolar o teto em todas as divisões ou naquelas que estejam a ser particularmente afetadas.

Paredes

As paredes voltadas para o exterior, principalmente as que enfrentam mais o vento e a chuva, podem ser isoladas por dentro, com a possibilidade de escolher apenas isolamento térmico ou termo-acústico, para reduzir o barulho exterior. Em determinadas situações, as paredes têm até caixas de ar que podem receber um enchimento, minimizando a intervenção.

Em moradias ou em apartamentos onde a intervenção pode abranger toda a fachada do prédio, o sistema ETICS, também conhecido como ‘capoto’, utiliza várias camadas de diferentes materiais para garantir um isolamento térmico e sonoro de nível superior.

Portas e janelas

Sendo de um material diferente da parede ou estrutura que têm em volta - e com a necessidade de manterem a capacidade de abertura -, as portas e janelas causam várias entradas e saídas de ar, caso não estejam bem vedadas. Sejam de madeira ou de metal, se tiverem vidros simples e décadas de uso, o melhor é substituir as janelas por outras com vidros duplos e melhor fixação. Fitas de calafetagem e enchimentos de aplicação em fissuras são soluções rápidas e baratas, mas não definitivas.

Chão

Se o teto é importante nas moradias e no último andar de prédios, o chão assume relevância no rés-do-chão ou cave, quando está mais próximo da rua e do terreno que está por baixo, sujeito a mudanças de temperatura e também ao efeito da chuva e da presença de água em geral. O pavimento pode ser isolado a nível térmico, mas também em termos de impermeabilização, para evitar o efeito da humidade.

Pontes térmicas

Locais em que haja uma diferença na construção ou estrutura, ou uma ligação mais direta ao exterior, devem ser especialmente tidos em conta em matéria de isolamento, pois facilitam as fugas de temperatura. Portas e janelas constituem pontes térmicas, mas também caixas de estores, pilares, uniões entre paredes e chão, ou entre o telhado e as paredes. Não se trata de um isolamento específico para estes locais, mas sim de garantir que essas zonas estão bem vedadas, que há continuidade no efeito térmico da intervenção.

QUE TIPO DE MATERIAIS ISOLANTES EXISTEM?

Existem diversos tipos de isolamento como os sintéticos (como espumas e fibras de vidro) ou naturais e muito ecológicos (como cortiça, coco e outras fibras vegetais). Podem ser aplicados de forma individual e ter um destino muito específico, ou ser combinados com outros materiais e apresentar maior versatilidade na sua utilização.

Apesar de haver dezenas de materiais de isolamento diferentes, são apresentados essencialmente em quatro formatos diferentes

1. Placas e painéis

Rígidos ou semi-rígidos, devem ser fixados à estrutura onde são colocados, através de um material adesivo ou de ferragens.

2. Rolos ou mantas

 Se as placas podem ser cortadas para acompanhar a medida necessária, os rolos e mantas têm maior flexibilidade, podendo cobrir melhor superfícies que não sejam lisas e espaços maiores.

3. Granulados e fibras 

Têm uma aplicação mais técnica, sendo necessário maquinaria e cuidados extra, mas podem preencher cavidades menos acessíveis.

4. Espumas expansivas

 Injetadas como se de um spray se tratasse, as espumas expandem até preencher completamente os espaços, chegando a todos os orifícios.

Além de ser importante apostar num bom isolamento para a sua casa, deve verificar o seu estado de tempos a tempos. Também pode tentar fazer uma avaliação do isolamento quando está à procura de uma casa nova, para comparar melhor as opções. Não se esqueça também de pedir o certificado energético da sua casa, para saber que melhorias pode fazer ao imóvel em questão.

O isolamento é um investimento que traz conforto e eficiência energética à sua vida, e que acaba também por valorizar o imóvel. Mais do que ter as portas e janelas bem fechadas nos dias frios, garanta que estão devidamente isoladas e mantenha o calor onde ele faz falta. Dê um conforto extra à sua família.