São essenciais no conforto térmico e acústico de uma casa, além de ajudarem a controlar a conta da energia. Conheça as diferenças entre os vários materiais.

O aquecimento da casa é um desafio para os portugueses. Um estudo da EDP com o ISEG mostra que 8 a 14% dos portugueses sofrem de pobreza energética. Garantir que as janelas são eficientes (não só do ponto de vista térmico, mas também acústico) reflete-se na fatura da energia, mas sobretudo na qualidade de vida e na saúde.

Janelas eficientes são aquelas que ajudam a preservar a temperatura do interior do edifício evitando, no verão, a condução do calor exterior para o interior e, no inverno, a perda do calor residual ou da temperatura gerada, por exemplo, pelo aquecimento. Além disto, as janelas eficientes contribuem ainda para aumentar o isolamento acústico de uma casa, diminuindo o ruído proveniente do exterior. Assim, para além do aumento de conforto e da eficiência energética, ter janelas eficientes aumenta, já que a classe do certificado energético será maior – o que lhe pode vir a trazer benefícios adicionais caso decida vender ou arrendar a sua casa. já que a classe do certificado energético será maior – o que lhe pode vir a trazer benefícios adicionais caso decida vender ou arrendar a sua casa.

Se não puder fazer o investimento de trocar as janelas para melhorar a eficiência energética de sua casa, há algumas formas de minorar as perdas de temperatura da casa.

  • Cole fita de isolamento em toda a moldura da janela e na porta (além das zonas onde identifica frestas);
  • Isole as caixas de estore com lã de rocha, por exemplo
  • Não ignore as ferragens — a sua afinação pode significar um movimento mais adequado das folhas da janela para uma selagem perfeita

como escolher caixilharia

Se estiver a considerar avançar com esta mudança, escolha, antes de mais, empresas que adotaram o certificado energético das janelas (deve procurar janelas de A+ pelo menos) e que devem ainda possuir marcação CE. Como sempre, peça vários orçamentos e compare preços, tendo sempre em conta a qualidade dos materiais. peça vários orçamentos e compare preços, tendo sempre em conta a qualidade dos materiais.

CAIXILHARIA: PVC OU ALUMÍNIO?

Não há uma resposta simples a esta questão. Depende muito da localização da casa e, claro, do orçamento. Ambas as opções são resistentes e duráveis e é possível encontrar tanto janelas de alumínio como de PVC com certificação A+, mas há algumas diferenças entre os dois materiais que deve ponderar.

Caixilharia em PVC

São de policloreto de vinilo, um material muito resistente (por vezes feito a partir de plástico reciclado) e que não é condutor de temperatura. Este último facto traz uma grande capacidade de isolamento térmico.

O preço é, habitualmente, superior ao das janelas de alumínio e sobe com a espessura e qualidade do PVC. No entanto, estas janelas abrem possibilidades estéticas que o alumínio dificilmente consegue garantir, como o acabamento em qualquer cor — ou mesmo a imitar madeira.

Caixilharia em Alumínio

Muito leve e resistente a fenómenos como a ferrugem, corrosão ou qualquer espécie de fungos, é aconselhado para edifícios que se localizem perto do mar e estejam expostos à maresia.

Em geral é um material bastante acessível e mais barato do que o PVC e, embora seja um material condutor térmico, há algumas soluções, como materiais que isolam o alumínio e que reduzem essa propriedade, tornando-o eficiente energeticamente.

Há ainda as janelas de vidro duplo de alumínio e que podem conseguir uma eficiência térmica e isolamento acústico semelhante ao das janelas de PVC.

O VIDRO DAS JANELAS NÃO É TODO IGUAL?

A tecnologia e a indústria têm evoluído muito para criar vidros cada vez mais seguros e capazes de altas eficiências térmicas, sem perderem a capacidade de deixar passar luz. Quanto mais avançamos e mais tratamentos tiverem, mais caros podem ser os vidros.

Ao renovar as janelas, há um vidro que deve desde logo descartar — o vidro monolítico. Tem poucas capacidades isolantes e, por isso, não é uma boa escolha para estar em contacto com o exterior. Há, no entanto, várias outras opções, sendo os vidros duplos os mais utilizados:

Vidros laminados

É composto por duas placas de vidro, reforçadas entre si com PVB (polivinil butiral), para uma grande resistência. É o chamado vidro blindado.

Vidros Duplos

São duas folhas de vidro separadas, idealmente por 16mm, com uma câmara de gás - sobretudo o Argon, que permite um melhor comportamento térmico - ou de ar desidratado. Esta câmara é fechada hermeticamente e o resultado é um vidro de boa eficiência térmica e acústica. Em edifícios muito expostos e em zonas com temperaturas extremas podem ser aconselhados os vidros triplos.

O espaço entre eles pode conter gás ou ar, e a sua espessura pode variar, recomendando-se uma caixa de ar de 16mm de espessura. O uso de gás permite obter um melhor comportamento térmico, sendo o gás Argon o mais usado.

Vidros Temperados

Um vidro muito resistente e seguro. Graças ao seu tratamento, se sofrer algum impacto estilhaça-se em pequenos pedaços irregulares e por causa disto é comumente usado em portas de espaços exteriores.

Vidros Pares

Recebe um tratamento superficial para ter um aspeto fosco e isso torna-o muito usado em casas de banho ou cozinhas onde se quer, de forma elegante, ter passagem de luz sem uma grande exposição dessa área.

Vidros de Baixa Emissão

Pode refletir as temperaturas até 70% o que lhe confere uma eficiência energética superior. Isto acontece graças a camadas com teor de prata.

É também de ter em conta o tipo de abertura da janela. As janelas podem ser de correr, de batente, oscilo-batente, guilhotina, projetante, ente outras, e deve escolher tendo em conta o espaço e a zona onde estão as janelas. Por norma, as janelas de correr são menos eficientes, por terem uma maior permeabilidade ao ar; enquanto que as janelas de batente, isolam mais e são por isso mais eficientes.

NÃO ESQUECER O TIPO DE ABERTURA DAS JANELAS

O tipo de abertura das janelas também pode ter impacto no isolamento e eficiência energética da sua casa.
Existem diversas opções de abertura para o interior, exterior ou ambas as direções:

Janela de batente

É uma janela de eixo vertical que abre na sua totalidade. Pode escolher se quer abrir para o interior ou exterior;

Janela oscilo-batente

É também de eixo vertical que permite abertura na totalidade, que funciona como janela basculante, permitindo a ventilação, utilizando uma posição secundária do manípulo;

Janelas oscilo batentes

Janela oscilo-batente de manobra lógica

É uma janela basculante que funciona como janela de eixo vertical que permite abertura na totalidade para efeitos de ventilação quando o manípulo é colocado na sua posição secundária;

Janela de batente de duas folhas

É uma janela que tem duas folhas: uma ativa, que é a primeira a abrir, e uma passiva. A folha ativa pode ser do tipo batente, oscilo-batente, oscilo-batente de manobra lógica. A segunda folha tem função de janela batente quando destrancados os fechos;

Janela basculante

É uma janela de eixo horizontal na zona inferior que pode abrir parcialmente para o interior (para uma limpeza e manutenção totais), que tem um puxador (também conhecido por cremone) ou um fecho-bala. Dispõe de dobradiças e compasso limitadores ou simples que fazem com que a folha gire parcialmente sobre o eixo horizontal ao manobra-se o fecho;

Janela oscilo-paralela

É uma janela basculante e deslizante, sobretudo para efeitos de ventilação. Funciona como uma janela de correr paralela ao plano do vidro, podendo ficar aberta na totalidade quando está na posição secundária do manípulo;

Janela projetante

É uma janela de eixo horizontal na zona superior que permite abertura parcial para o exterior. Tem um puxador que ao manobrar-se, a folha gira parcialmente sobre o eixo horizontal, com dobradiças e compassos posicionais ou compassos simples;

Janela pivotante

A janela gira sobre um eixo central, horizontal ou vertical, que pode abrir parcialmente para o interior e para o exterior.

MAS QUAL A COMBINAÇÃO CERTA?

A melhor solução para janelas mais eficientes dependerá sempre do orçamento que tiver disponível. As combinações que oferecem mais eficiência, conforto térmico e acústico terão um custo mais elevado. Assim, deixamos-lhe 3 soluções de diferentes custos:

A solução de janelas mais eficiente

Para garantir a máxima eficiência, em termos térmico e acústicos, deverá apostar em janelas que combinem a caixilharia de PVC, com vidro duplo ou triplo - de baixa emissão.

Quanto ao tipo de abertura das janelas, poderá optar por janelas oscilo-batentes (ou basculantes), que são uma solução muito versátil para a esmagadora maioria das áreas da casa e garantem uma boa eficiência energética e maior estanquicidade face a uma caixilharia de correr.

A solução mais popular

Nos últimos anos, têm sido cada vez mais as pessoas que apostam em janelas muito semelhantes às referidas acima, mas com uma pequena alteração ao nível dos vidros. Ou seja, janelas com caixilharia em PVC ou alumínio, com vidros duplos e corte térmico, que são mais baratos que os vidros de baixa pressão.

A escolha de PVC ou alumínio está relacionada também com a facilidade de instalação e resistência do material: a caixilharia de PVC assegura um maior isolamento térmico e acústico - que é importante para quem vive em zonas mais ruidosas como são, tendencialmente, as cidades. Já o alumínio é um material mais leve, resistente e fácil de instalar.

No que diz respeito ao tipo de abertura das janelas, até há pouco tempo, as janelas de batente simples eram as mais populares. O seu custo era mais baixo, porém nos últimos tempos tem-se assistido a uma adoção crescente das janelas oscilo-batentes, já que o diferencial de custo tem vindo a diminuir muito e a sua versatilidade é muito superior para garantir um maior conforto térmico.

A solução mais económica

Se a sua preocupação é gastar o menos possível com janelas para garantir “os mínimos olímpicos” em termos de eficiência energética, poderá optar por uma boa caixilharia em alumínio, reforçada com isolamento.

Quanto aos vidros, aconselhamos a apostar em vidros duplos – vai ver que será uma boa escolha para tornar a sua casa mais confortável, mantendo a temperatura estável e os níveis de ruído exterior baixos, a um preço relativamente controlado.

APOIOS À RENOVAÇÃO DAS JANELAS

Se está a pensar mudar as janelas de uma casa de construção anterior a 2006, existe a possibilidade de o Estado ajudá-lo financeiramente nessa empreitada. Através do Fundo Ambiental e do Programa de Apoio a Edifícios + Sustentáveis (PAE+S), é possível receber um apoio de até 85% e com um teto de 1.500€. Para saber mais sobre os prazos, comparticipações e as candidaturas, pode consultar a página do e- .ão.

As janelas são um elemento central no conforto térmico de uma casa mas, para um conforto superior, pode ponderar complementá-las com um aparelho de aquecimento adequado à sua situação particular, assim como verificar outras zonas da casa por onde o calor pode escapar e tomar algumas medidas para aumentar o isolamento térmico.