O TELHADO É UMA DAS ÁREAS DA CONSTRUÇÃO MAIS EXPOSTA E É POR ONDE PODE ESCAPAR BOA PARTE DO CALOR.

Se procura melhorar o isolamento térmico da sua casa e tem um sótão ou acesso ao telhado, deve apostar nestas áreas em primeiro lugar, já que é aqui que se dão cerca de 30% das perdas térmicas.

O ar quente sobe e por isso o telhado é o lugar para onde foge o calor dos aquecimentos ligados no inverno. Por outro lado, no verão, se não estiver devidamente isolado, será um lugar de concentração de calor que impedirá a casa de se manter fresca.

ISOLAR PARA EVITAR DANOS

Se tem um acesso direto ao telhado em casa, este pode ser um investimento decisivo para resolver ou evitar alguns danos e ainda melhorar a eficiência energética, diminuindo a conta da energia. Um bom isolamento do telhado será essencial para evitar

  • Perdas térmicas
  • Infiltrações
  • Humidade e condesação
  • Propagação de fungos ou bactérias
  • Degradação dos materiais
  • Ruído

Além do conforto térmico, a falta de isolamento e eventuais danos podem causar infiltrações no teto e a degradação da cobertura do edifício e dos restantes materiais dos tetos e paredes. Tenha em atenção se encontrou focos de humidade, condensações ou de bolores e fungos.

Expôr materiais, como madeira, a temperaturas muito altas ou a humidade pode diminuir o seu tempo de vida.

Além da eficiência energética e da impermeabilização da cobertura, que evitará infiltrações, é bom considerar ainda a resistência do material ao fogo, sendo ideal a classe A1 de reação ao fogo e a E na resistência ao fogo (consegue analisar este aspeto na ficha técnica do material).

O comportamento acústico do material também tem relevância, sobretudo se o edifício em questão está em zonas de tráfego aéreo muito evidente, por exemplo.

QUE MATERIAIS ESCOLHER PARA ISOLAR O TELHADO?

Em geral, quanto mais espesso for o material, melhor será o isolamento e é essencial que seja aplicado numa camada hermética para que a anteriormente referida condensação seja evitada. Muitos materiais são inclusive fornecidos com essa camada hermética e em rolos de grande largura para reduzir o número de juntas.

Considere os seguintes materiais para escolher a melhor opção para o seu caso e note que quanto menor o valor da condutibilidade (pode variar com o fabricante), mais isolante.

MANTAS DE LÃ MINERAL (MW) OU FIBRA

São excelentes isoladores acústicos, sobretudo quanto têm uma alta densidade. Podem ser de lã natural, fibras de vidro, materiais acrílicos ou rocha e a sua principal vantagem é não conduzir o calor, impedindo as trocas de temperatura entre o interior e o exterior. No entanto, não são tão isolantes em relação à humidade e, por causa disto, com o tempo podem perder a sua funcionalidade.

AGLOMERADO DE CORTIÇA (ICB)

Tem das vantagens de ser um produto completamente natural. A cortiça é em si um bom isolante térmico e acústico e muito duradouro. O ICB pode ser de cortiça expandida, para formar placas, o que se obtém apenas com a ação do vapor de água sobre os grânulos de cortiça. Tem ainda a vantagem de, nas coberturas, poder ser utilizado tanto em vertentes inclinadas como em tetos planos e é amigo do ambiente por ser reutilizável e biodegradável.

ISOLANTES EM SPRAY

Habitualmente é constituído por poliuretano ou poli-isocianurato (PUR ou PIR, embora estes materiais também se possam encontrar à venda em placas). Estas espumas rígidas não são condutores térmicos e, quando aplicados em spray, ganham a aparência de uma espuma, o que altera o aspeto do telhado — se a intenção é que fique visível, esta talvez não seja a melhor opção. No entanto, estes são alguns dos isolantes mais valorizados do mercado, não só pela facilidade de aplicação (não são precisas grandes preparações ou trabalhos de construção), mas também pela resistência ao fogo (o PIR é resistente à chama direta) e alta impermeabilidade.

Por outro lado, a espuma cria algum peso sobre o telhado, pelo que é sempre bom haver um cálculo sobre o impacto da sua aplicação na estrutura do telhado.

Outros sprays ficam com a aparência de uma tinta — são tintas refletoras de calor e podem ajudar a resolver problemas de impermeabilização. Estas estão entre as soluções mais dispendiosas.

MANTAS ALUMINIZADAS

Não são tão indicadas para o isolamento térmico, quanto para isolar a casa da humidade. Devem ser aplicadas diretamente na estrutura do telhado, portanto, são aconselhadas para o momento de construção da casa. Dessa forma podem inclusive contribuir para a reflexão de algumas radiações.

PLACAS ISOLANTES

São convenientes para cortar e instalar facilmente e existem em vários materiais para se adaptar às características do local a isolar. O poliestireno expandido extrudido (XPS), por exemplo, é bom para aplicar diretamente debaixo das telhas e tem uma condutibilidade muito baixa, sendo também muito resistente ao manuseamento em obra. Por norma, estas placas são azuladas ou amareladas e não apodrecem, sendo altamente impermeável e eficaz na prevenção e bolores.

Outro material isolante em placa é o poliestereno expandido moldado (EPS), que vulgarmente conhecemos como esferovite. Tem a desvantagem de poder absorver alguma água, embora seja imune à humidade, e tem uma condutibilidade baixa, já que é composto por 98% de ar em repouso, um ótimo isolante. Este material, no entanto, pode degradar-se com o tempo.

BETONILHA DE ENCHIMENTO

Também conhecido como betão leve, este granulado serve apenas para coberturas planas. Pode servir para enchimento ou para ficar visível, à superfície, num terraço que virá a ser utilizado como uma área de estar, por exemplo. Além dos pequenos grãos de argamassa, é adicionado granulado de cortiça expandida o que confere a este material propriedades de isolamento térmico.

TELHADO PLANO OU INCLINADO?

O isolamento térmico pode ser aplicado diretamente sobre a laje, nas vertentes inclinadas ou, no caso de uma cobertura horizontal, deve ser aplicado sobre a laje, após a impermeabilização.

Os telhados planos devem ser isolados na própria estrutura, isto é, por fora. Isolando o telhado por dentro, vai criar-se condensação entre o telhado e o material isolante o que pode levar ao apodrecimento das vigas e outras madeiras do telhado.

Pelo contrário, no caso de um telhado inclinado, o isolamento pode ser feito pelo interior e, quando a operação é bem feita, não se corre o mesmo risco. Deve, no entanto, ter-se em atenção qual a utilização que o espaço com acesso direto ao telhado terá. No caso dessa divisão vir a estar ocupada, aplicação do isolante térmico deve ser feita sobre a estrutura resistente. Se não tiver como objetivo estar ou ocupar essa zona, o isolamento pode e deve ser feito na laje que está diretamente sob o telhado.

E O CHÃO, IMPORTA ISOLAR?

Se tem acesso direto ao telhado através da sua casa, deve preocupar-se com o isolamento do chão. É assim que poderá garantir que não há comunicação entre as temperaturas das duas áreas — as assoalhadas onde vive e a área do telhado. Este isolamento poderá ser feito, em geral, com materiais semelhantes aos que são usados na estrutura do telhado.

Depois de isolar o telhado, verifique também o isolmento térmico das paredes e se deve trocar as suas janelas para janelas mais eficientes. Ao isolar a sua casa de cima abaixo irá valorizar o seu imóvel, contribuir para que a sua casa esteja à temperatura ideal, reduzirá seu consumo energético nas diferentes estações do ano, poupando assim na fatura de energia. Para além do conforto térmico irá contribuir também para a redução de ruído, e evitar que os efeitos da passagem do tempo se façam notar na sua casa.