Conheça aqui as medidas de segurança contra tentativas de fraude

Saiba mais

Troque o fogão a gás por uma placa de indução

As placas de indução são a opção tecnologicamente mais avançada para quem pretende acabar com o gás em casa — o combustível fóssil com maior pegada de carbono. Além disso, são mais seguras para a família e chegam a ter o dobro da eficiência de um fogão a gás tradicional. 

A eficiência energética das placas e fogões está diretamente relacionada com a forma como transmitem o calor gerado

  • Os fogões a gás baseiam-se na radiação da chama e uma parte considerável do calor gerado é desperdiçado no ar sem nunca chegar à panela ou aos alimentos.
  • As placas de indução geram um campo magnético na superfície da placa, que induz uma corrente elétrica na panela; é por isso que esta tem de ser em material ferroso ou ter um adaptador. Cerca de 85% da energia consumida é entregue diretamente à panela e aos alimentos ¹ , o que torna as placas de indução até duas vezes mais eficientes que os fogões a gás.

A troca de um fogão a gás por uma placa de indução pode permitir poupar cerca de 100 € por ano face ao gás de botija ou 70 € face ao gás canalizado.

Além disso, as placas de indução são mais seguras que os fogões a gás, reduzindo riscos de queimaduras ou de incêndios, são fáceis de limpar e oferecem funcionalidades práticas como temporizador ou sensores digitais.

No que toca ao investimento inicial, este pode ser superior ao de uma placa vitrocerâmica equivalente, sobretudo se implicar a compra de um novo conjunto de cozinha adaptado à placa. Mesmo assim, feitas as contas, as placas de indução são 5% a 10% mais eficientes que as de vitrocerâmica, pelo que o investimento pode acabar por compensar.

É de reforçar que muitos dos modelos de tachos e panelas mais recentes já funcionam com placas de indução e este pode ser o caso do seu trem de cozinha. Para verificar, experimente colar um íman ao fundo do tacho ou da panela, do lado de fora. Se ficar colado é porque pode usar na placa de indução.

 

Próximos passos:

Para fazer a transição do fogão a gás para uma placa de indução:

  • Escolha o número de pontos de calor de acordo com as necessidades da sua casa: em média, quatro pontos são suficientes para um agregado familiar de quatro pessoas.
  • Avalie se a instalação da placa de indução implica um aumento da potência contratada
  • Garanta que o novo equipamento pode ser instalado no local que escolheu, tendo em conta que a bancada deverá ter uma espessura mínima de 25-30 mm, e considere eventuais custos extra com extensões de eletricidade.
  • Verifique se o seu conjunto de cozinha é compatível. Caso não seja, não tem que o substituir por um novo, pode comprar apenas alguns adaptadores

Pressupostos

Cenário base:

  • Família de 3 pessoas com um fogão a gás de 4 bicos e uma eficiência de 32% (rácio entre o consumo energético de gás e o calor transferido para a comida);
  • Características dos bicos de gás: 1 pequeno com consumo máximo de gás de 1,0 kWh, 2 médios com 1,75 kWh cada e 1 grande com 3,0 kWh;
  • Frequência de utilização do fogão: 30 minutos por dia no caso dos bicos de gás pequeno e médios e 15 minutos por dia no caso do bico grande (todos no nível máximo);
  • Preço médio do gás de botija: 0,17 € por kWh (IVA incluído) – corresponde a 30 € por botija de 13 kg;
  • Preço médio do gás canalizado: 0,14 € por kWh (IVA incluído)

Pressupostos de melhoria:

  • Investimento de 390 € (IVA incluído) na compra e instalação de uma placa de indução com 4 pontos de calor, eficiência de 85% e output máximo de calor superior ao do fogão a gás
  • Preço médio da eletricidade: 0,20 € por kWh (IVA incluído).