Com os dias passados em casa, aumentam as horas na cozinha. Conheça algumas dicas para se tornar num verdadeiro chef.

Desde que a pandemia de COVID-19 chegou a Portugal que, dar uma volta por redes sociais como o Facebook, mas sobretudo o Instagram, se tornou sinónimo de ficar a conhecer as aventuras, sucessos e insucessos gastronómicos de amigos e conhecidos. De repente, há breves workshops lives com chefs de cozinha e dicas um pouco por todo o lado - desde cozinha vegetariana ao mais indulgente dos doces. O facto de uma percentagem considerável da população se encontrar em casa nas 24 horas do dia, fez com que as horas dedicadas à cozinha aumentassem exponencialmente. E se, à partida, se poderia pensar que isto levaria a uma certa saturação e falta de dedicação na descoberta de novas receitas, aquilo a que se tem assistido é precisamente o contrário. De repente, toda a gente faz bolos, refeições faustosas, pequenos-almoços dignos de hotel e até… pão. A febre é tal que a farinha e o fermento de padeiro têm estado sucessivamente esgotados em muitos supermercados - muito graças à receita Pãodemia, de Filipa Gomes.

Diz-se que cozinhar ajuda a uma certa abstração da adversidade e que é uma boa ferramenta contra ansiedade. Além disto, cozinhar é mais amigo da carteira do que encomendar comida diariamente e, ao controlar aquilo que come logo no momento da definição do menu e da escolha dos ingredientes, acabará por levar a escolhas mais saudáveis.

É que a alimentação pouco saudável pode ser outra consequência de estarmos em casa. Petiscamos aqui e acolá, comemos algo apressadamente e, por vezes, até nos esquecemos de lanchar ou de tomar o pequeno-almoço porque tivemos a comer uma embalagem de bolachas de chocolate.

É possível aproveitar esta quarentena para viver a cozinha de uma outra forma. Com escolhas mais saudáveis, com mais tempo dedicado a explorar receitas alternativas e, claro, a fazer tudo isto em família. Temos algumas dicas para si.


1. NÃO SALTE REFEIÇÕES: PLANIFIQUE!

Uma das recomendações dadas para quem está em isolamento, é manter as rotinas. E, por isso, é importante manter as todas as refeições principais: pequeno-almoço, lanche a meio da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. À primeira vista pode parecer que não vamos sair da cozinha o dia todo. Sobretudo se só em cima da hora da refeição abre o frigorífico e começa a pensar no que vai fazer. O segredo está em planear. Pegue numa folha, reúna toda a família e planifiquem as refeições para toda a semana. Cada um pode dizer o seu prato favorito e é importante incluir sopa, fruta e vegetais.

2. PONHA AS MÃOS NA MASSA

Esta dica complementa a anterior. Se gosta de pão, barritas, granola, bolachas... faça-as! Como não devemos ir tantas vezes ao supermercado, há coisas que podemos passar a fazer. E, acredite, são bem mais saudáveis e divertidas. Até porque, se acontecer estar a trabalhar, e não tiver tempo para lanchar - ou os miúdos pedirem qualquer coisa para “picar” - o melhor é ter mesmo estas soluções à mão, para evitar petiscos pouco saudáveis. Não sabe o que fazer? Visite o Instagram ‘Na Cadeira da Papa’, provavelmente uma das maiores bíblias online de lanches para crianças (e não só).

ponha as mãos na massa
Seja com estas receitas ou com outras, os mais novos podem e devem ajudar. Além de estarem entretidos, também aprendem mais sobre a alimentação. Se não resiste a um bolo, procure soluções mais saudáveis - mas nem por isso menos saborosas. No Instagram ‘A Pitada do Pai’ pode encontrar receitas como um delicioso bolo de cenoura e laranja.

3. LEVE A TECNOLOGIA PARA A COZINHA

Um dos obstáculos que encontramos na cozinha é a falta de ideias. Depois de tanto tempo a cozinhar, começamos a não ter receitas para fazer e inovar. Bem, isso pode ser contornado se usarmos a tecnologia.

Ponha toda a família a pesquisar. Entre muitos outros, pode consultar o site 24Kitchen, o blogue do Casal Mistério ou a app Tasty Receitas. Se se sente corajoso, então visite os Instagrams de alguns dos maiores chefs de cozinha em Portugal e no mundo e aventure-se a replicar uma das suas receitas. É o caso de José Avillez, Rui Rebelo, Yotam Ottolenghi ou Massimo Bottura, que diariamente, pelas 21h, emite o seu programa, “Kitchen Quarantine”. O chef da Osteria Francescana, para muitos o melhor restaurante do mundo, transmite em tempo real o que está a cozinhar para a família e dá o passo a passo de cada receita.

4. FAÇA DOS MAIS PEQUENOS CHEFS

Se tem crianças mais pequenas, talvez seja o momento ideal para investir numa torre de aprendizagem Montessori. Estas estruturas são ideais para permitir envolver o seu filho no trabalho na cozinha, ao colocarem-nos à altura do balcão da cozinha. A isto junte um kit de facas em porcelana para crianças e pode ser que até ao final da quarentena tenha um assistente perfeito!

5. DÊ A VOLTA AO MUNDO… SEM SAIR DA COZINHA

É certo que este não é momento para viajar. Mas sonhar não custa e até pode fazer bem ao espírito. Porque não aventurar-se e criar pratos inspirados em cozinhas longínquas? Coisas que nunca experimentou ou que o fazem recordar viagens que fez? Cozinha indiana, tailandesa, italiana, espanhola, russa, angolana. O mundo é o limite!

de a volta ao mundo sem sair da cozinha

6. FAÇA DA COZINHA UM JOGO

Por que não uma pequena competição do estilo “Quem é o melhor Chef”? Defina uma proteína e os dias de competição: num dia cozinha uma pessoa, no dia seguinte cozinha a outra. Depois, compete ao resto da família eleger o vencedor. E definir o castigo do vencido. Boa sorte!