A SAÚDE MENTAL É UM DOS PILARES DA VIDA E DO BEM ESTAR HUMANO E NÃO DEVE SER DESCURADO NUM PLANO DE SAÚDE.

Não há saúde sem saúde mental. Segundo a Direção Geral de Saúde (DGS), “é a base do bem-estar geral” e para a Organização Mundial de Saúde (OMS) é mais do que a ausência de doenças mentais.

Um desequilíbrio na saúde mental pode comprometer os outros capítulos da saúde humana — e não falamos apenas da existência de um transtorno mental. Esteja atento aos sinais que podem denunciar uma saúde mental instável e peça ajuda, por exemplo, marcando uma consulta de psicologia através do Plano de Saúde EDP.

São muitas as áreas da vida que podem afetar e ser afetadas por uma saúde mental em risco. As vivências emocionais, sociais, familiares e profissionais têm um impacto diferente em cada um — da mesma forma que há peles mais vulneráveis à exposição ao sol do que outras, há pessoas mais vulneráveis aos acontecimentos desafiantes da vida.

O IMPACTO DA SÁUDE MENTAL NAS POPULAÇÕES

Os dados mostram que não há de facto saúde quando esta dimensão humana – a mente - é afetada: em Portugal, os problemas de saúde mental são uma das principais causas para ser declarada incapacidade no trabalho e estão na origem de uma larga fatia de reformas antecipadas e baixas.

O mesmo acontece noutros pontos do mundo: a incidência de doenças mentais aumentou na última década em todo o mundo e, hoje, estima-se que 20% das crianças e adolescentes padeçam doenças mentais. Para a OMS os tratamentos de boa parte destas condições são relativamente baratos e deveria haver maiores investimentos e uma mudança de olhar sobre a saúde mental.

Segundo a OMS, são vários os fatores sociais, psicológicos e biológicos que determinam a nossa saúde mental em determinado momento — por exemplo, as pressões socio-económicas aumentam o risco de doenças mentais.

Alguns acontecimentos podem conduzir à doença mental — podemos estar a falar de sinais de depressão ou de ansiedade, que têm uma elevada prevalência em Portugal (22,9%), sendo relativamente baixa a taxa de doenças mentais graves (4%).

As doenças mentais graves podem exigir cuidados psiquiátricos e, em alguns casos, evoluem para uma situação crónica através de acompanhamento médico e de uma medicação constante. Mas do que falamos quando nos referimos a ansiedade e depressão?

O QUE É A DEPRESSÃO?

A tristeza não é incompatível com uma vida saudável e produtiva — é apenas uma reação natural a acontecimentos — mas a depressão é. Ao contrário da tristeza, a depressão não é momentânea, pode afetar a vida em diferentes graus e revela sintomas como sentimentos prolongados de aborrecimento, irritabilidade, preocupação, sensação inexplicável de insegurança e medo, diminuição da energia.

Com a depressão esvai-se o prazer e o interesse nas atividades diárias, pode haver alterações no sono e no apetite, o que leva a sintomas físicos como a dor de cabeça, um mal-estar generalizado ou até a dor crónica.

E O QUE É A ANSIEDADE?

Da mesma forma, a ansiedade manifesta-se em aspetos físicos e mentais: as preocupações, pânico infundado, sentimento de descontrolo e de apreensão. A ansiedade também pode manifestar-se através de sintomas físicos como suores, tremores, aumento da frequência respiratória e cardíaca, culminando tudo numa constante sensação de cansaço.

Como foi dito, em algum momento da vida estes sentimentos são respostas naturais aos acontecimentos. Considera-se que a saúde mental permanece intocada quando as sensações são resolvidas e quando se verifica que o indivíduo mantém capacidade de adaptação às suas novas circunstâncias; supera crises, perdas e conflitos afetivos; sabe quais os limites do seu bem-estar e reconhece os sinais de que foram ultrapassados; mantém sentido crítico, mas também criatividade e capacidade de sonhar; cria relações saudáveis com outros membros da sua comunidade; continua a fazer projetos de vida.

PSICOLOGIA: QUANDO MARCAR UMA CONSULTA?

Quando se perde alguns dos requisitos do estado mental saudável de que falámos acima é afetado não só o estado físico, mas todas as dimensões da vida humana — o trabalho, as relações familiares e sociais.

No contexto da sáude mental, a psicoterapia pode pode ser uma das principais terapêuticas para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Os sinais que podem indicar a necessidade de fazer um acompanhemento de psicologia são:

  •  Sensação de sobrecarga
  • Sentimentos de incapacidade e tristeza prolongadas
  • Ansiedade
  • Dificuldade de concentração e/ou falhas de memória
  • Preocupação excessiva
  • Sensação de negativismo constante ou de estar no limite
  • Mesmo sentido apoio do que os rodeiam, sentir que a sua situação não melhora ou evolui
  • Ter comportamentos que possam afetar as pessoas que o rodeiam

O que é a psicoterapia

O QUE É A PSICOTERAPIA?

A psicoterapia consiste no diálogo orientado por um terapeuta – um psicólogo ou um psiquiatra, estabelecendo-se uma relação de confiança entre este e o paciente. Para o sucesso desta terapêutica é essencial que o paciente se sinta num ambiente de apoio e sem juízos de valor. Ao longo das sessões, o especialista guia o paciente para que este seja capaz e identificar e alterar padrões de pensamento e comportamento. Com o evoluir do quadro, o paciente conseguir ir adquirindo ferramentas para conseguir lidar melhor que desafios que possam surgir.

 

QUER MARCAR UMA CONSULTA DE PSICOLOGIA?

Se sente que não consegue ultrapassar um determinado sofrimento emocional sozinho e com o apoio da família e amigos, há uma rede de psicólogos que lhe pode dar as ferramentas necessárias para desatar os nós da saúde mental, e que está incluído no Plano de Saúde EDP. O plano inclui consultas de psicologia a preços convencionados (30€) e vídeoconsultas de especialidade disponíveis a 25€.

A OMS é clara: “saúde mental é o estado de bem-estar em que o indivíduo se conhece, consegue lidar com o stress normal da vida, consegue trabalhar de forma produtiva e contribui para a sua comunidade”. Não adie cuidar de si.