A EDP Comercial utiliza cookies nos seus sites para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Saiba mais

A EDP Comercial utiliza cookies nos seus sites. Saiba mais

Área de Cliente EDP

Certifique-se que inseriu corretamente o seu email.

Carro elétrico: tudo o que precisa de saber

Criado em

Com a evolução dos automóveis elétricos e o quadro de incentivos fiscais existentes, comprar um veículo movido 100% a eletricidade torna-se cada vez mais apetecível. No entanto, a decisão pode não ser simples. Entre fatores como a autonomia das baterias, as formas de carregamento e até as diferenças na condução, há muito a ter em conta antes de tomar esta decisão. Para o ajudar a esclarecer todas as dúvidas, partilhamos consigo o panorama atual da mobilidade elétrica em Portugal. Desde o funcionamento aos custos, saiba o que esperar de um carro elétrico.

Como funciona um carro elétrico?

Um automóvel elétrico é alimentado por energia elétrica armazenada em baterias, propulsionado por um motor elétrico. Pode ser carregado em casa através de uma wallbox ou tomadas domésticas e também nos postos de carregamentos públicos. A maioria dos modelos tem também um sistema de regeneração incorporado, que permite aproveitar as travagens para gerar energia elétrica e assim carregar a bateria. Por depender apenas de energia elétrica, a sua utilização não tem emissões de C02 associadas.

O que difere face a um carro tradicional?

Ao contrário dos motores convencionais, o motor elétrico é silencioso. Há também diferenças na capacidade de aceleração: os carros elétricos têm o binário máximo disponível logo desde o arranque. Enquanto um carro convencional precisa de ‘aquecer’ (passar por um certo número de rotações do motor) até ganhar aceleração, o arranque elétrico é muito mais rápido e poderoso. Por outro lado, os modelos 100% elétricos não têm caixa de velocidades nem embraiagem, o que torna a condução mais fácil e mais confortável.

Que tipos de carro elétrico existem?

Só são considerados elétricos os automóveis que dependem a 100% de eletricidade, sem outros motores de combustão. No entanto, existem no mercado automóveis com tecnologias mistas, normalmente chamados híbridos. Conheça em maior detalhe os três tipos de veículos que são movidos a eletricidade.

 

  • Elétricos | São veículos 100% elétricos que não dispõem de qualquer motor a combustão. Por isso, não emitem CO2, sendo a alternativa mais limpa para um futuro sustentável. Em termos de consumo, e porque o abastecimento a eletricidade é muito mais barato do que a gasolina ou gasóleo convencionais, garantem também uma maior poupança. São a melhor solução para quem faça trajetos diários curtos, como por exemplo em ambiente urbano. Para distâncias muito longas – mais de 400km por dia – pode ter de carregar o veículo ao longo do trajeto. Dois dos aspetos fundamentais para optar por um carro 100% elétrico é a possibilidade de carregar o veículo em casa e/ou no trabalho e a distância percorrida diariamente. Se quiser descobrir se os seus trajetos diários são compatíveis com um carro elétrico, faça download da app EDP EV.X disponível para Android e iOS.

 

  •  Híbridos plug-in | São veículos que dispõem de dois tipos de motorização – a elétrica e a convencional (a gasolina ou a diesel) – que podem funcionar de forma complementar ou independente. O motor elétrico garante, em média, uma autonomia de bateria até 50 quilómetros, suficiente para as deslocações em ambiente urbano. A partir daí, o motor convencional dá uma ajuda – para que nunca arrisque ficar parado, sem carga suficiente na bateria para completar o percurso. Como este tipo de veículo tem maior autonomia elétrica que um hibrido sem plug-in, se funcionar apenas a eletricidade não emite CO2. Tal como nos carros 100% elétricos, poderá recarregar as baterias facilmente através de posto de carregamento elétrico ou de uma tomada para carregar o seu veículo em casa.

 

  • Híbridos (sem plug-in) | Tal como na versão plug-in, os veículos híbridos têm um motor elétrico e um convencional. A diferença é que o motor elétrico recarrega exclusivamente através do sistema de regeneração, gerando energia em cada travagem ou inércia. Não é possível ligá-los à tomada. Assim, a autonomia da bateria é muito reduzida – apenas alguns minutos, se usar o motor elétrico de forma independente. Os maiores ganhos são gerados de forma complementar: arranque em modo elétrico (para uma aceleração extremamente rápida) e aproveite, na condução, o recarregamento da bateria por travagem/inércia. Assim terá um menor consumo de combustível.

Qual é a autonomia das baterias?

Esta é uma das questões que mais preocupa quem está indeciso entre um veículo convencional a gasolina/diesel e um automóvel elétrico. No entanto, os modelos 100% elétricos mais recentes já apresentam níveis de autonomia atrativos: cerca de 400 quilómetros, contando com uma condução que permita tirar o máximo partido do sistema de regeneração nas travagens. Lembre-se, no entanto, que a utilização de funcionalidades como o ar condicionado reduz a autonomia prevista.

No caso dos híbridos, a autonomia é bastante mais reduzida, porque as baterias são mais pequenas. Os modelos plug-in podem rondar os 50 quilómetros de autonomia, em modo exclusivamente elétrico. A vantagem é que também demoram menos tempo a carregar.

Onde posso carregar a bateria e durante quanto tempo?

Poderá carregar um automóvel elétrico (ou híbrido plug-in) em postos de carregamento públicos ou em sua casa – a opção mais prática e confortável.

  • Em casa | Se optar por carregar o automóvel em casa, poderá usar uma tomada convencional de 10A. Mas prepare-se para esperar até cerca de 20 horas para 80% da capacidade da bateria. A alternativa é investir numa wallbox, um posto de carregamento doméstico de fácil instalação que garante maior rapidez – 3 a 4 horas para algumas potências. Há vários modelos disponíveis no mercado, muitas vezes disponibilizados pelos próprios fabricantes automóveis. Analise as opções tendo em conta a instalão elétrica de sua casa, os diferentes tipos de conectores necessários e a comodidade de utilização (por exemplo: se tem ligação com o smartphone). Há soluções wallbox que já funcionam sem fios – basta estacionar por cima de uma placa no solo. Aproveite a tarifa bi-horária ou tri-horária para carregar o veículo durante a noite, já que o carregamento do veículo vai ser incluído na fatura normal de eletricidade, segundo as condições contratualizadas com o comercializador.

 

  • Num posto de carregamento público | A rede de postos de carregamento MOBI.E disponibiliza cerca de 550 postos de carregamento em mais de 60 municípios de Portugal Continental e Madeira. Desses, 56 são de carregamento rápido e garantem o carregamento de 80% da bateria em 20 a 30 minutos – embora o seu uso frequente possa ter impacto na longevidade das baterias. Nos postos normais, poderá demorar entre 6 e 8 horas. Procure aqui o posto de carregamento mais próximo. Para o utilizar, terá de aderir ao cartão MOBI.E que agora apresenta vantagens exclusivas para clientes EDP. Conheça todas as vantagens do cartão MOBIE.E EDP.

 

Existem incentivos fiscais?

O Estado incentiva a compra de veículos elétricos, por serem uma opção ambientalmente favorável. Existem, atualmente, os seguintes benefícios:

  • Incentivo direto à compra | Os primeiros mil cidadãos que, em 2018, apresentem um comprovativo de compra de um carro novo 100% elétrico – e cumpram as condições do Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente – recebem um incentivo de €2.250 para abater ao preço do veículo.
  • Isenção de Imposto sobre Veículos;
  • Redução do Imposto Único de Circulação.

Vários municípios disponibilizam, ainda, estacionamento grátis para este tipo de veículos.

Vou ter de adaptar a minha condução?

Sim, há diferenças na condução que deve ter em conta: dada a capacidade de arranque muito rápido, deverá dosear o uso do acelerador no início do trajeto. Devido ao sistema de recuperação de bateria, poderá sentir uma travagem quando tira o pé do acelerador. Deverá adaptar a sua condução para poder tirar o máximo partido do recarregamento em andamento:

  • Opte, sempre que possível, por aliviar o acelerador em vez de travar
  • Não acelere nas descidas, para que o carro possa carregar em andamento;
  • Acelere de forma progressiva.

Por fim, dê uso ao planeador que há em si. Para contrariar o medo de ficar sem bateria, planifique sempre o percurso antes de arrancar – e pesquise previamente quais os postos de carregamento existentes ao longo do caminho.

Fazer as contas: carro elétrico ou convencional?

Agora que conhece as principais características, falta apenas a comparação. O que compensa mais: um carro elétrico ou um modelo convencional, a gasolina ou diesel? A nova app EDP EV.X ajuda-o a perceber como seria o seu dia-a-dia se tivesse um veículo elétrico – quanto pouparia em combustível, a redução e emissões de CO2, o número de carregamentos que teria de fazer por dia e por semana, entre muitas outras coisas. Faça já o download da app EV.X para Android ou iOS.

 

  • Investimento inicial

Em termos de investimento inicial, um automóvel convencional ainda é mais barato. Contudo, existem já modelos de carros elétricos com um preço bastante competitivo (abaixo dos 30 mil euros). A perspetiva, é que os preços sejam cada vez mais acessíveis. Obviamente, se optar por carros de gama mais premium, como por exemplo o Tesla Model S 100D, os preços podem ultrapassar os 100 mil euros. Mas estes carros, tal como os Ferrari, não são para toda a gente. Conheça os modelos de marcas que já são parceiras da EDP - como BMW, Nissan ou Volkswagen, entre muitas outras – e veja qual o que se adequa melhor ao seu perfil.

 

  • Consumo diário e manutenção

Depois da compra, as contas são outras. A manutenção de um carro elétrico é bastante mais barata, já que o motor não precisa de manutenção frequente. No consumo diário, o carro elétrico também sai a ganhar: um elétrico consome cerca de €2 por 100 quilómetros; as opções a diesel e a gasolina consomem no mínimo, respetivamente, €7 e €10.

 

  • Pegada ambiental

Em termos ambientais, um carro 100% elétrico garante-lhe que não produz emissões de CO2 enquanto conduz, ao contrário dos carros convencionais. Mesmo que a eletricidade usada seja produzida a partir de uma fonte fóssil, o carro elétrico ganha no desempenho ambiental. Um estudo da União Europeia indica que, mesmo nessas circunstâncias, o veículo elétrico usa apenas dois terços da energia de um carro convencional.

Ainda tem dúvidas? Com a app EDP EV.X conseguirá comparar as suas viagens atuais de automóvel convencional com o desempenho de um carro elétrico. Saiba quanto vai poupar, quantas emissões de CO2 vai evitar e quais serão as necessidades de carregamento, para conseguir tomar a melhor opção.

10 mil

É o número estimado de veículos elétricos existentes em Portugal

A partir de julho de 2019
Todos os veículos elétricos e híbridos novos na União Europeia terão de incorporar um sistema de ruído branco artificial ao circularem a velocidade reduzida ou em marcha atrás. O objetivo é reduzir o risco associado ao motor silencioso, que pode comprometer a segurança de peões e ciclistas.

 

 

Partilhe esta página: 

Voltar ao topo da página

© Copyright 2018 - EDP Comercial. Todos os direitos reservados.