Saber o que comprar, mas também saber como se comportar num supermercado é fundamental para se manter saudável e em segurança em tempos de pandemia.

Assim que os portugueses ganharam consciência de que o surto de COVID-19 também chegaria a Portugal, a corrida aos supermercados começou. Apesar dos pedidos para que não açambarcassem, a incerteza do futuro levou muitos a fazerem exatamente isso. Mas esse é um gesto que, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS) pode “ser um estímulo ao consumo alimentar excessivo e de má qualidade nutricional, num período em que estão presentes outros fatores de risco, como o sedentarismo e o stress emocional”.

Mais, não açambarcar é uma questão de responsabilidade social. É necessário ser responsável nos seus consumos, pois só essa postura garante que todas as pessoas têm acesso aos bens de que necessitam. Mas quais os alimentos fundamentais a ter em casa? E como calcular quantidades? Não menos importante, quais os comportamentos corretos a ter no interior de um supermercado e o que fazer com os alimentos na chegada a casa?

Conheça as dicas fundamentais para fazer compras de forma responsável e segura em 3 momentos distintos.

1. ANTES DE IR AO SUPERMERCADO

Compre na sua rua ou no seu bairro

Sempre que puder, procure fazer compras nos negócios mais pequenos. Não só evita as confusões e as filas das grandes cadeias de supermercado, como apoia quem mais precisa.

No site SOS Covid encontra o supermercado - dos maiores aos mais pequenos - mais perto de si e em funcionamento. Já o projeto Go Small or Stay Home é uma base de dados com todos os pequenos negócios - mercearias, padarias, talhos, peixarias e até drogarias - mais próximos.

Planear é fundamental

Fazer uma lista antes de ir ao supermercado é uma boa prática em qualquer altura, mas torna-se ainda mais importante num momento como o atual - em que se pretende diminuir a necessidade de sair de casa, mas também o tempo que passa dentro de um supermercado e, portanto, mais exposto a qualquer contágio.

planear é fundamental

A sua lista de supermercado deve ter em conta: os alimentos que tem em casa, o espaço disponível para armazenamento no frigorífico e congelador, o planeamento de refeições e escolhas predominantemente saudáveis.

Apesar de ser importante fazer uma lista, também é importante não ser fundamentalista em relação a este documento. Se algo que queria está esgotado, compre uma alternativa.

Saiba quanto comprar

A Direção-Geral da Saúde desenvolveu um kit que pretende ajudar os portugueses a fazerem compras de forma equilibrada, a pensar num período de 14 dias. Este kit contempla não apenas alimentos a incluir no seu carrinho de compras, mas também quantidades indicativas - tudo com base nas necessidades nutricionais médias diárias estimadas para a população portuguesa (2000 kcal, 20% proteína, 50% hidratos de carbono e 30% lípidos).

O kit pode ser consultado aqui e divide-se nas grandes áreas alimentares da Roda dos Alimentos - cereais e derivados, tubérculos; hortícolas; fruta; laticínios; carne, pescado e ovos; leguminosas; gorduras e óleos; e outros alimentos, aconselhando quantidades para 14 dias, por pessoa. Por exemplo:

  • Pão – 700g
  • Cereais de pequeno-almoço - 500g
  • Arroz, massa ou batata - 3 kg
  • Hortícolas - 2,5 kg
  • Fruta - 3 kg
  • Leite – 3 L
  • Queijo – 600g
  • Iogurtes - 14 unid.
  • Leguminosas - 1kg (em conserva)

Se bebe café e está em regime de teletrabalho, não se esqueça de incluir este produto na sua lista. O mesmo se aplica, se tiver um bebé: compre atempadamente leite em pó e fraldas. Afinal, não é boa altura para perceber a meio da noite que lhe falta um destes produtos.

E permita-se comprar alguns guilty pleasures. Afinal, são muitas horas em casa, com cansaço e stress acrescido. Um chocolate ajuda!

O que comprar

É fundamental manter uma alimentação variada e equilibrada. Organize as suas compras tendo em conta três tipologias: produtos secos, produtos frescos e produtos congelados.

  • Produtos secos - pão, farinha (sobretudo se já se rendeu à produção de pão caseiro), arroz, massas, grão-de-bico, feijão e lentilhas, azeite, vinagre, polpa tomate, tomate pelado, café
  • Produtos frescos - frutas e legumes, ovos, leite, iogurtes (escolha aqueles com um maior prazo de validade), manteigas e queijos
  • Produtos congelados - vegetais como couve-de-bruxelas, espinafres, grelos, ervilhas, brócolos e favas, peixe e carn

o que comprar

Evite sair de casa

Se pertence a um grupo de risco evite ir às compras. Recorra a amigos, familiares, vizinhos ou instituições para que façam as compras por si. Outra hipótese são as compras online. Se tem sintomas ou já teve um diagnóstico confirmado, não saia de casa seja para o que for.

Não se esqueça, se sair de casa, previna-se

Ao sair de casa para o supermercado, leve consigo os seus próprios sacos, máscara, luvas e álcool ou gel desinfetante.

2. DURANTE A IDA AO SUPERMERCADO

Se preferir, use máscara

Este tem sido um tema que tem gerado bastante discussão nas últimas semanas. Recentemente, a DGS alargou a recomendação de uso de máscara a toda a população, em locais fechados e com elevada concentração de pessoas – como, por exemplo, os supermercados. Mas lembre-se: usar máscara para ir às compras só terá um efeito positivo se o fizer corretamente. Caso contrário poderá ser um veículo adicional de contaminação.

Garanta que coloca a máscara por forma a cobrir toda a área do queixo até ao nariz, e não toque na máscara com as mãos ou luvas - por exemplo, baixá-la para falar com o empregado do supermercado, por achar que não o ouvem. Para não colocar a sua segurança e a dos outros em risco, opte por manter a máscara sempre colocada. No momento de retirá-la, remova-a pelo atilho, e lave as mãos de seguida, tal como recomenda a Organização Mundial de Saúde.

Se precisar de máscara e não conseguir comprar na farmácia, opte por fazer a sua própria máscara.

Procure ir nas horas de menor afluência

Pode informar-se sobre a afluência às várias superfícies num determinado momento, através da app Posso Ir, criada no âmbito da plataforma Tech4Covid19.

Vá sozinho às compras

Escolha um elemento da família para ir às compras - deve ser sempre a mesma pessoa a fazê-lo, reduzindo assim o nível de exposição no seio de cada família.

Mantenha a distância

Seja no exterior, na fila de espera, ou no interior, mantenha uma distância de segurança das outras pessoas de, pelo menos, dois metros.

Evite os carrinhos

Dentro do possível, utilize os seus próprios sacos. Se tiver necessidade de usar um carrinho, desinfete a pega antes de lhe tocar e mantenha as luvas postas ao manuseá-lo.

evite os carrinhos

Não toque nos produtos

Até aqui, muito de nós gostavam de apalpar a fruta antes de a colocarmos no saco. Contudo, nesta altura é altamente desaconselhável fazê-lo. Por isso, evite tocar nos alimentos no supermercado, tal como a DGS recomenda. Até à data, não há confirmação de que o vírus possa ser transmitido pela comida, mas pode haver contágio através do toque em alimentos e embalagens já contagiados por outras pessoas.

Respeite a etiqueta

Evite falar para cima dos alimentos e, se tiver necessidade de tossir ou espirrar, faça-o para um lenço ou para o antebraço e afastando-se dos produtos expostos.

Evite usar dinheiro

No momento de pagar as compras opte por usar cartão, idealmente contactless, de forma a evitar tocar no terminal. Se tiver a aplicação, pergunte se é possível pagar com MB WAY através do seu telemóvel – a maior parte das grandes superfícies já disponibiliza este meio de pagamento. Uma pequena curiosidade: agora também já pode pagar a sua fatura de energia com MB WAY.

Desinfete as mãos com frequência

Durante todo o período no supermercado e até regressar a casa, vá higienizando as mãos sempre que possível. Não toque no rosto durante as compras.

3. NO REGRESSO A CASA

Deixe a rua à porta

A DGS recomenda que, ao entrar em casa, se descalce e dispa a roupa que usou na rua, deixando-a numa zona potencialmente contaminada da casa, delimitada do resto do espaço. Retire as luvas tendo o cuidado de as tirar pelo avesso, não tocando na parte que esteve em contacto com o exterior. Lave as mãos durante cerca de 20 segundos, seguindo as indicações da DGS.

 

 

Lave bem os alimentos

A DGS cita a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar e a Organização Mundial da Saúde para afirmar não existir “até ao momento, evidência de qualquer tipo de contaminação através do consumo de alimentos cozinhados ou crus“.

Ainda assim, numa lógica preventiva, sugere o reforço das “boas práticas de higiene e segurança alimentar durante a manipulação, preparação e confeção dos alimentos.

desinfete os alimentos

Assim, faça a desinfeção apropriada das bancadas de trabalho e das mesas com produtos apropriados, evite a contaminação entre alimentos crus e cozinhados, cozinhe e emprate a comida a temperaturas apropriadas, lave adequadamente os alimentos crus e evite a partilha de comida ou objetos entre pessoas durante a sua preparação, confeção e consumo.

Arrume os alimentos de forma correta

Organize os alimentos comprados segundo um sistema FIFO (first in, first out), de forma a consumir primeiro os alimentos com prazos de validade mais curtos – que devem ficar na parte da frente do frigorífico, mais acessíveis – e deixando os alimentos menos perecíveis na parte de trás.