Portugal volta a posicionar-se como um dos países do mundo que mais recorre às energias renováveis.

Os números melhoram de ano para ano, com Portugal a posicionar-se como um dos países do mundo que mais recorre às energias renováveis. Segundo dados da REN, entre janeiro e dezembro de 2019, 51% da energia usada pelo nosso país foi renovável. Ou seja, o consumo de energias renováveis já ultrapassou o das não renováveis (42,3%), com os restantes 6,7% de consumos energéticos a serem importados (podendo ser, ou não, renováveis).

A energia eólica é a grande responsável pelos bons números do nosso país, representado 27% do consumo nacional. Já a energia hidroelétrica abasteceu 17%, a biomassa 5,5% e a fotovoltaica 2,1%. No que toca às energias não renováveis, o gás natural contribui para 32% dos consumos e o carvão para 10% da energia usada – o que representa uma enorme quebra, visto que, em 2018, o carvão foi responsável por 21% dos consumos energéticos. Recorde-se que a energia a carvão é a mais poluente, sendo a que produz mais gases nocivos para o ambiente e que mais prejudica a qualidade do ar, produzindo partículas extremamente tóxicas para a saúde.

PORTUGAL NO TOP MUNDIAL DAS RENOVÁVEIS

Mas o que significam, afinal, estes números à escala mundial? De acordo com a Associação Portuguesa de Energias Renováveis, Portugal encontra-se em 5.º lugar do top mundial da incorporação de energias renováveis na produção de eletricidade, apenas ultrapassado por países como a Dinamarca, o Uruguai, a Irlanda e a Alemanha. Mas para que a melhoria da qualidade do ar e, consequentemente, da saúde das populações se possa sentir, são necessárias medidas concertadas a nível internacional, a fim de se poderem maximizar os benefícios da transição energética (no ano passado ainda foram aplicados subsídios aos combustíveis fosseis em 112 países).
A este sucesso português não é alheia a EDP. A EDP Renováveis é líder mundial no sector da energia renovável, sendo o quarto maior produtor de energia eólica do mundo. Produção essa que não se limita a Portugal, estando a EDP presente em 14 países, contribuindo assim para uma energia mais limpa à escala global.

COMO CONTRIBUIR PARA AS ENERGIAS LIMPAS

E se Portugal, enquanto país, está a dar passos de gigante para um sector energético limpo, também os portugueses podem contribuir, a título individual, para reduzir as emissões de carbono causadas pelos consumos energéticos. Como? Reduzindo o seu consumo energético e recorrendo a energias limpas quando possível.
A primeira coisa a fazer a título individual é verificar se é possível usar energia solar na sua casa – ou na sua empresa. A energia solar pode ser convertida em eletricidade e em calor, através de painéis solares fotovoltaicos ou térmicos. Assim, é possível dar energia à sua casa através da luz solar e aquecer o ambiente ou a água.

portugal campeao das renovaveis secundaria

Como fazê-lo? É simples. Através da Energia Solar EDP, por exemplo, é possível produzir energia do sol para autoconsumo. A produção dos painéis ocorre durante o dia, sobretudo nos meses de verão, quando o céu está limpo durante mais horas. Durante a noite, a energia consumida vem da rede elétrica, sendo ainda possível vender à rede a energia que não for consumida. Isto permite não só contribuir para um mundo mais limpo, como para reduzir a fatura de eletricidade de sua casa. E mais: se aderir ao plano Energia Solar EDP garante que 100% da energia consumida em sua casa é de origem 100% renovável, o que permite, também, uma melhor poupança. E para o fim fica a cereja no topo do bolo. Através do sistema EDP re:dy é possível acompanhar em tempo real a produção dos seus painéis solares e saber quanto está a poupar, a cada minuto.

Junte-se ao movimento e adira às energias renováveis.