Tornar a sua casa mais eficiente do ponto de vista energético pode implicar alterações de estilo de vida, assim como um investimento de tempo e, por vezes, de dinheiro. Mas é um esforço que vale a pena. Conheça dez estratégias que pode colocar em prática, seja quando estiver a construir (ou reconstruir) a sua casa, seja no seu dia-a-dia. Os objetivos são comuns: poupar energia, criar hábitos amigos do ambiente e, claro, reduzir a conta de energia.

 

1. Tire partido da orientação do seu imóvelA regra de ouro para uma casa eficiente no que toca a energia tem a ver com a sua orientação e localização. Se estas forem adequadas, conseguirá mais facilmente manter a sua casa fresca durante o verão e aquecida durante o inverno. O ideal será privilegiar a orientação da casa a sul, localizando aí as salas e as maiores janelas, para deixar entrar mais luz e calor do sol no inverno. A norte deve haver o mínimo de janelas e a nascente e poente é fundamental ter estores ou portadas, para controlar a entrada de energia solar.


2. Certifique-se de que tem um bom isolamentoTer um bom isolamento é uma das características mais importantes numa casa. Durante o inverno, o isolamento permite reter o calor gerado pelo seu sistema de aquecimento e no verão, evitar que a casa sobreaqueça. Deverá dar prioridade ao isolamento da cobertura, já que é através dela que se perde, em média, 30% do calor, seguida das paredes e portas com 25% de perdas e das janelas com 20%. Este cuidado ajuda-o a evitar a perda de calor interior e pode representar uma poupança de até 10% na fatia da conta correspondente ao aquecimento ou refrigeração do seu lar.

 

3. Opte por janelas eficientesA instalação de janelas eficientes permite um maior conforto térmico e acústico, assim como poupar na fatura de energia. As janelas mais eficientes têm caixilhos em PVC ou em alumínio com corte térmico e boa estanquidade ao ar para evitar entrada de frio no inverno. Para o envidraçado deve considerar, no mínimo, um vidro duplo com uma caixa de ar de 16 mm de espessura. Consulte a etiqueta energética CLASS+ para saber quais as janelas mais eficientes. Como cliente EDP tem acesso a condições únicas na compra de janelas eficientes com a Caixiave. Saiba tudo aqui.

 

4. Feche as cortinas no verão, abra-as no invernoDurante o dia, nos meses mais quentes, baixe as persianas e feche os cortinados para evitar a entrada de calor. No inverno, faça o oposto e mantenha-os abertos durante o dia e fechados à noite. Assim, vai reduzir a necessidade de aquecimento ou refrigeração. Caso possua jardim, saiba que plantar uma árvore de folha caduca em frente às janelas acaba por ter o mesmo efeito: de verão a copa faz sombra, refrescando a sua casa, mas no inverno perde a folhagem e deixa que o sol a aqueça.


5. Aposte na eficiência do aquecimento da casa e das águasNo inverno, as despesas em aquecimento podem representar um aumento considerável do valor da conta (cerca de 20%). Para poupar, invista em aparelhos de boa qualidade e elevada eficiência energética, como um ar condicionado - o investimento inicial pode ser mais avultado, mas depressa perceberá que fez a escolha acertada, uma vez que um ar condicionado é cerca de quatro vezes mais eficiente que um aquecedor elétrico.
E não se esqueça das soluções de aquecimento de água. Com o frio, a tendência é para que usemos água mais quente e durante mais tempo, por isso torna-se ainda mais importante escolher uma solução de aquecimento de água eficaz. Com as soluções mais eficientes do mercado, como as bombas de calor e termoacumuladores híbridos consegue reduzir mais de 50% do consumo de energia para aquecer a água.

6. Use energia solar Se tem uma moradia pode, à partida, instalar um sistema solar térmico ou fotovoltaico.
Um sistema solar térmico utiliza a energia solar para aquecer diretamente a água, que é acumulada num depósito. Este sistema pode suprir até 70% das necessidades de água quente de uma casa.
Um sistema solar fotovoltaico capta a luz solar e transforma-a em energia elétrica que pode ser utilizada instantaneamente na sua casa para reduzir a fatura de eletricidade. É um sistema de muito baixa manutenção e elevada durabilidade. Simule já a poupança através do simulador.

 

7. Compre eletrodomésticos eficientesOs eletrodomésticos, sobretudo os de grande dimensão como as máquinas de lavar ou os frigoríficos, têm um peso significativo no consumo de energia de uma casa (mais de 40%). Quando precisar de comprar novos eletrodomésticos, dê preferência aos que oferecem a maior eficiência energética possível. Embora possam ser um pouco mais caros no momento da compra, o facto de consumirem menos energia irá permitir-lhe poupar todos os meses. É um investimento que vai compensar no futuro. Sempre que possível, procure por eletrodomésticos de classe energética A++ ou superior – acredite que é um investimento que vai compensar no futuro. Saiba tudo aqui.


8. Escolha lâmpadas LEDAs lâmpadas LED são muito mais eficientes e duradouras - com um tempo de vida útil de até 30.000 horas - e mais rápidas a iluminar face às tradicionais lâmpadas economizadoras. Mas não se esqueça: sempre que não precisar de as usar, desligue-as. Quer saber mais sobre lâmpadas LED? Saiba tudo aqui.

 

9. Não deixe equipamentos eletrónicos em standbyTal como acontece com os frigoríficos, a potência unitária dos equipamentos audiovisuais é pequena, mas a sua utilização é constante, o que os faz serem responsáveis por um consumo importante de energia, cerca de 9% de uma fatura elétrica. Opte por ligar estes equipamentos a uma única multitomada com botão ON/OFF e, ao desligar o botão, eliminará os consumos de standby de todos os aparelhos.

 

10. Práticas eficientes do dia-a-dia

Eletrodomésticos – evite abrir as portas dos equipamentos de frio desnecessariamente e por tempo prolongado. Não encha demasiado o frigorífico para que o ar circule livremente entre os alimentos, nem o mantenha demasiado vazio para evitar perdas excessivas.

Forno e Micro-ondas – para aquecer alimentos, escolha o micro-ondas em vez do forno ou fogão.

Máquinas de lavar roupa e loiça – use as máquinas de lavar roupa e loiça com a carga máxima indicada pelo fabricante para cada programa, sem sobrecarregar nem fazer meias cargas.

Vedação dos equipamentos - garanta que as portas dos equipamentos de frio, de lavagem e de confeção (fornos) vedam bem. Se necessário substitua as juntas e borrachas de vedação gastas ou com fissuras.

Iluminação – verifique o estado de limpeza dos seus sistemas de iluminação. Uma lâmpada limpa é mais luminosa e eficiente.