Inovação

A EDP procura integrar a inovação em novas tecnologias, processos e produtos, bem como nos modelos de negócio, para aumentar a competitividade e criar valor para o negócio e para as partes interessadas. Através de processos de inovação aberta, promove-se o desempenho global e encorajam-se sinergias, ao mesmo tempo que se estabelecem alianças, parcerias e abordagens colaborativas para partilhar recursos, competências e riscos.

O modelo de governo para a Inovação assenta em 5 áreas estratégicas:

·        Energias limpas;
·        Redes inteligentes;
·        Soluções centradas no cliente;
·        Armazenamento de energia;
·        Data Leap.
 
Para cada um destas áreas, constituiu-se um Grupo de Trabalho de Inovação directamente patrocinado por um membro do Conselho de Administração Executivo do Grupo EDP.
 
As iniciativas mais relevantes desenvolvidas pelas unidades de negócio nas cinco áreas estratégicas descrevem-se de seguida:
 

Esta área centra-se na identificação e promoção do desenvolvimento de novas formas de produzir energia através de fontes renováveis ou através da redução das emissões de gases com efeito de estufa, bem como de novas tecnologias que melhorem as operações e a eficiência de activos de produção de energia existentes.
 

Destacam-se os seguintes projectos:

Waveboost (Portugal)

Com a tecnologia de absorber point Waveboost, desenvolvida pela CorPower, pretende-se melhorar a fiabilidade e o desempenho dos conversores de energia das ondas, desenvolvendo e validando um módulo de travagem revolucionário com CERS (Cyclic Energy Recovery System) e controlo avançado, que pode ser acoplado a diferentes tipos de dispositivos.


Fotovoltaico flutuante (Portugal)

Projecto-piloto de instalação de uma plataforma fotovoltaica flutuante na albufeira do aproveitamento hidroeléctrico do Alto Rabagão, para validação das sinergias hídrica-solar. O sistema compreende 840 módulos fotovoltaicos, com uma potência total de 230 kW, assentes numa plataforma flutuante de 2.500 m2, suportada por 8 pontos de ancoragem.


DEMOGRAVI3 (Portugal)

Demonstração de uma fundação de gravidade inovadora, híbrida (cimento-aço) e auto-flutuante, para parques eólicos offshore localizados a profundidades de água entre 35 e 60m.


Utilização de cinzas de carvão mineral (Brasil)

Viabilidade técnica, económica e ambiental do aproveitamento das cinzas de carvão mineral geradas em centrais termoeléctricas, para utilização na construção civil, pavimentação e aplicações geotécnicas e ambientais.

Este pilar está focado no desenvolvimento de infra-estrutura de redes inteligentes e aplicações com foco no cliente e nas operações, assegurando que o seu papel central no sistema energético satisfaz as necessidades do negócio. Estas novas redes inteligentes terão de lidar, nomeadamente, com objectivos de melhoria de eficiência energética, com a integração crescente de fontes renováveis ​​intermitentes, bem como com a crescente penetração de veículos eléctricos e sistemas de armazenamento.

 

Destacam-se os seguintes projectos:
 

e-balance (Portugal)

Projecto assente na problemática do aumento generalizado dos consumos energéticos e no consequente impacto no clima que daí advém. Pretende-se desenvolver um sistema de gestão descentralizada de energia que proporcione o aumento do apoio à decisão local, permitindo integrar os consumidores de uma forma activa nas redes inteligentes.


Weather Maps (Portugal)

O projecto visa a criação de uma camada de informação de previsão meteorológica sobre a plataforma Google Maps e a sua integração nas ferramentas da EDP Distribuição, permitindo visualizar as previsões de vento, radiação solar e temperatura fornecidas pelo IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera).


Smart Lab (Portugal)

Concepção e desenvolvimento de uma infra-estrutura para teste de soluções de redes inteligentes, nomeadamente testes de interoperabilidade, validação funcional e controlo de qualidade de produtos e processos associados às smart grids.


InteGrid (Portugal)

Demonstração de tecnologias de redes inteligentes para a integração de energias renováveis e participação interactiva dos consumidores no mercado da energia e na implementação de modelos de negócio inovadores, recorrendo a novas abordagens de gestão de dados e envolvimento das partes interessadas.


Hygrid (Espanha)

Desenvolvimento de um sistema combinado para a separação de hidrogénio, baseado em membranas, separação electroquímica e TSA (Temperature Swing Adsorption).


Redução da procura nas horas de ponta (Brasil)

Projecto pioneiro de desenvolvimento de um dispositivo electrónico inteligente de controlo (hardware e software) para redução da procura nas horas de ponta por desligamento de equipamentos de linha branca.


Smart Grid (Brasil)

Desenvolvimento de uma metodologia e tecnologia para a gestão da energia numa instalação eléctrica com circuitos segmentados, conforme critérios de priorização de disponibilidade. A instalação é alimentada a partir da rede eléctrica e dispõe de um sistema de microgeração e de um sistema híbrido de acumulação de energia (baterias e termoacumulador).

 

Na área do retalho, a EDP tem vindo a apostar na diversificação, direccionando as suas actividades de inovação para expandir a oferta comercial com produtos e serviços inovadores e novos modelos de negócio, bem como para melhorar a satisfação e o envolvimento dos clientes. As soluções desenvolvidas visam transformar a EDP numa empresa ágil, orientada para o cliente, através de sistemas de preços e agregação inteligentes, eficiência energética e aumento da electrificação.

 

Destacam-se os seguintes projectos:
 

EDPBOX para Cegos (Portugal)

Desenvolvimento de um protótipo para invisuais, destinado a adquirir os registos tarifários da EDPBOX (contador inteligente) e vocalizar o seu conteúdo ao pressionar um botão.


EDP Distribuição Digital (Portugal)

O projecto visa incrementar a relação digital da empresa com os cidadãos e consumidores, através da disponibilização de um conjunto de novas funcionalidades nos seus canais digitais (site, APP e SMS).
 

SHAR-LLM – Sharing Cities (Portugal)

O projecto pretende demonstrar que soluções para cidades inteligentes, adequadamente projectadas, podem ser integradas em ambientes urbanos complexos, através de uma abordagem digital e do desenvolvimento de modelos inovadores de negócios, investimento e governação.
 

BestRES (Espanha)

Desenvolvimento de boas práticas e de modelos de negócio inovadores para agregadores de geração de origem renovável, incluindo a identificação de barreiras e a optimização do papel dos agregadores.
 

Arquitectura de Performance para Eficiência Energética em Edificações (Brasil)

Desenvolvimento e validação experimental de uma metodologia de arquitectura para a fase de projecto de edifícios, com vista à obtenção de níveis elevados de eficiência energética em edifícios expostos às condicionantes ambientais climáticas particulares da Zona Bioclimática 8 do Brasil.

 

 

Esta área procura compreender as rápidas mudanças das tecnologias de armazenamento de energia e a sua aplicação nos sistemas de energia. Os desafios da intermitência de energia, da microgeração, da mobilidade eléctrica e da crescente capacitação dos clientes, exigem soluções tecnológicas que aumentem a flexibilidade dos sistemas eléctricos onde a oferta e a procura têm de coincidir a cada instante. O armazenamento é, assim, uma ferramenta vital para abordar esses tópicos em toda a cadeia de valor da energia.

 

Destacam-se os seguintes projectos:
 

Pilotos técnicos de armazenamento (Portugal)

Teste de soluções com baterias comerciais em ambiente residencial para determinar desvios de desempenho quando comparados com os enunciados pelos fabricantes e implementar estratégias de controlo de baterias associadas a painéis fotovoltaicos.


V2G – Vehicle to Grid
(Portugal)

Desenvolvimento de um demonstrador para testar a solução V2G (veículo para a rede), adquirir conhecimento tecnológico e avaliar desafios e oportunidades das tecnologias V2G.
 

SMARES (Portugal)

O projecto visa desenhar, fabricar, testar, validar e certificar uma tecnologia modular inteligente de armazenamento de energia com um sistema avançado de gestão, baseado num conversor multinível com potência de saída até 6 MVA a 20 kV, para utilização em sistemas de energias renováveis, nomeadamente parques eólicos offshore.
 

Redox (Espanha)

Desenvolvimento de uma bateria de 30 kW com tecnologia espanhola, para uso comercial e industrial, e realização de ensaios em ambiente real na rede de distribuição de baixa tensão nas Astúrias.
 

STOCARE (Roménia)

Projecto piloto de demonstração com o objectivo de definir e especificar um sistema de armazenamento com bateria ligado à rede, incorporado num parque eólico. O projecto permitirá identificar aspectos críticos relacionados com operações e manutenção do sistema em tempo real e avaliar as capacidades técnicas que permitam aumentar a flexibilidade das operações da central.

Trata-se de uma área transversal, que visa alavancar os últimos desenvolvimentos em tecnologias de informação e comunicação (TIC) com vista a acelerar a inovação em todas as áreas de negócio. O foco principal está na exploração das novas TIC, tais como Big Data, Cloud Computing, Advanced Analytics e Internet of Things, encontrando oportunidades de optimização operacional e desenvolvimento do negócio através da inovação digital e exploração de dados.

 

Destacam-se os seguintes projectos:
 

Real-Time Dashboards e optimização de Relatórios OSI-PI (Portugal)

Projecto-piloto que pretende avaliar arquitecturas de big data para processar e visualizar dados que hoje residem em bases de dados Osi-Pi. O objectivo é melhorar o desempenho e a flexibilidade de painéis e relatórios operacionais em tempo real com dados de parques eólicos.

 

Machine Learning for Cibersecurity (Portugal)

Desenvolvimento do modelo de previsão de ataques cibernéticos, através da aplicação de algoritmos machine learning para detectar padrões de eventos de segurança de alta gravidade e gerar alarmes, permitindo acções de mitigação em tempo útil.

 

EDP IoT Hackathon (Portugal)

Promoção de uma hackathon, em parceria com a Microsoft, desafiando os participantes a colectar dados de contadores inteligentes da EDP e depois transmitirem os dados de consumo energético para a cloud. A solução final envolve a visualização e tratamento dos dados recebidos de maneira eficaz, inovadora e apelativa.


 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.