Angola: aldeia solar de Cabiri

O governo angolano tem apostado na reabilitação e expansão das infraestruturas do setor elétrico, dando resposta ao aumento da procura de energia elétrica. No sentido de promover o desenvolvimento económico e social em Angola, este governo pretende iniciar um programa inovador no seu território nacional: a construção de Aldeias Solares.
 

Projeto Cabiri



Neste sentido, em 2012, teve início a construção da Aldeia Solar de Cabiri, em Angola, no âmbito de um programa governamental, contribuindo para os esforços de redução de pobreza e de desenvolvimento económico e social na região, que irá beneficiar aproximadamente 3000 pessoas.

A Fundação EDP, em parceria com a empresa angolana EIH – Energia Inovação Holding, encontra-se a implementar um projeto que proporciona às famílias beneficiárias o acesso à energia a custos inferiores às suas atuais despesas com combustíveis fósseis, através de soluções de energia solar e da capacitação da comunidade, contribuindo para impulsionar o crescimento das atividades económicas, aumentar o tempo de estudo, o acesso aos meios de comunicação e a tecnologias de informação nas escolas, diminuir a poluição do ar no interior das habitações e as doenças respiratórias daí resultantes.

Este projeto de acesso à energia abrange: eletricidade solar para iluminação de escolas, equipamentos sociais e habitações para 500 famílias; iluminação pública solar; lampiões solares para estudantes; fornos solares para as famílias; e capacitação técnica e capacitação da comunidade para utilização sustentada de soluções autónomas de energia renovável.

Durante 2013, a fase de construção foi concluída, com 505 sistemas solares fotovoltaicos (SHS) instalados em 500 domicílios e equipamentos sociais (escola, centro de saúde, centro de formação, espaço comunitário e outro edifício técnico) e 83 postes de iluminação pública solar.

O desafio passa por desenvolver e testar um novo conceito de Aldeia Solar que possa ser facilmente replicável em outras zonas do território angolano.


 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.