a minha casa > Perguntas Frequentes > Uso da electricidade

Uso da electricidade

Pode reduzir a sua factura de electricidade, sem abdicar do conforto proporcionado por esta forma de energia, sem grande dificuldade.

Basta seguir algumas práticas de utilização racional dos seus equipamentos eléctricos tirando o máximo partido quer das suas funcionalidades e rentabilidade quer das constantes inovações tecnológicas que vão surgindo no mercado.

Aconselha-se também que seja tido como factor decisivo na compra dum novo equipamento, o seu consumo. Para obter sugestões de poupança de energia veja eficiência energética.

Para esclarecimentos pormenorizados sobre algum equipamento em particular (consumos, características técnicas, etc.) utilize o nosso simulador de consumos.

Além disso, pode sempre optar pela tarifa bi-horária ou tri-horária e beneficiar de um preço de energia mais baixo se conseguir desviar parte do seu consumo para as horas de vazio.

A principal razão prende-se com as estações do ano.
Se verificar o seu histórico anual de consumos, disponível no edp online, repara que (provavelmente) nos meses de Inverno a sua factura é maior que no Verão. As causas para isso são:
- Sistemas de aquecimento ligados
- Menos horas de luz natural por dia
- Mais tempo passado em casa e mais equipamentos utilizados

Além destas causas naturais, outras poderão fazer aumentar a factura:
- Aquisição de novos equipamentos eléctricos
- Acerto de estimativa com uma leitura real
- Falta continuada de leitura do contador

Para evitar este problema sugerimos-lhe a adesão à Conta Certa, ficando assim a pagar o mesmo todos os meses e fazendo o acerto apenas uma vez por ano.

Para mais informação sobre como reduzir a sua fatura de eletricidade atavés da eficiência energética aceda ao site ECO EDP e consulte os nossos simuladores.

1. Identifique a potência (Watt) do equipamento em causa. Normalmente os fabricantes indicam esse valor numa chapa ou etiqueta colocada de lado ou na parte de trás do equipamento. Se não existe essa indicação, mas apenas a intensidade de corrente (Ampere - A) e a tensão (Volt - V) são fornecidos, faça o seguinte cálculo:

A X V = Watt
(Em Portugal a tensão da rede é de 230V)

2. Determine o consumo mensal do equipamento, multiplicando os Watts pelo número de horas de utilização mensal do equipamento. Por exemplo, se uma lâmpada fluorescente (36 W) está ligada 8 horas por dia, então por mês estará ligada 240 Horas (8x30 dias). O seu consumo mensal será de:

Watts X horas utilização = Watts hora por mês
36 X 240 = 8 640 Watts

3. Determine os Kilowatt hora (kWh) consumidos por mês:

Watt hora por mês / 1000 = kWh por mês
8 640 / 1000 = 8,64 kWh

4. Finalmente se quiser saber o custo deste consumo basta multiplicar os kWh por € 0,1011 (no caso da tarifa simples).

8,64 kWh X 0,1011 = 0,8735 €

 

Descubra se os seus equipamentos são energeticamente eficientes através deste simulador e aproveite os nossos conselhos para poupar na fatura da eletricidade e o ambiente.

Provavelmente precisa de requerer um aumento de potência.
Contacte um electricista para lhe identificar o problema e se a potência contratada for insuficiente para a sua instalação ligue para a Linha EDP 808 505 505 (chamada local) ou, sendo cliente da edp Serviço Universal, faça o pedido de aumento de potência através deste formulário. Se for cliente edp5D ligue para a linha edp5D 808 53 53 53.

Para mais informação consulte o simulador de potência e consumo.

 

Para mais informações sobre segurança, consulte o Risco Eléctrico.

Porque o corpo humano é bom condutor de electricidade, sendo a água um potenciador dessa condutividade.

O pássaro não apanha choque porque tem as duas patas pousadas sobre o mesmo condutor, logo não estão sujeitas a potenciais diferentes, pelo que não existe passagem de corrente através do corpo. O que provoca o choque eléctrico é a passagem da corrente através do corpo e não o contacto com a tensão.

No entanto, se ao levantar voo a ave tocar em simultâneo em dois condutores distintos, ou entre um deles e a massa (parte metálica do poste ligada à terra) então já haverá passagem de corrente e o consequente choque eléctrico.

Porque a pessoa está normalmente em contacto directo ou indirecto com o chão, e como a rede de distribuição tem, por razões de segurança na exploração, o neutro ligado à terra (terra de serviço), então a pessoa já está naturalmente em contacto com um ponto ao potencial zero.

Ao tocar no condutor que está a um potencial diferente, dá origem à passagem da corrente através do corpo, ou seja apanha um choque eléctrico.

O ambiente na casa de banho - tal como em balneários ou saunas - é naturalmente húmido ou molhado, o que torna as pessoas mais vulneráveis a choques eléctricos.

Não é permitida a utilização de aparelhos eléctricos portáteis, a menos que sejam de duplo isolamento (classe II). Aparelhos que não sejam de duplo isolamento não devem ser utilizados na casa de banho mesmo que ligados a tomadas no exterior.

Note que a instalação de tomadas na casa de banho não é permitida dentro de um determinado volume à volta da banheira ou bacia de chuveiro (consultar o Regulamento de Segurança de Instalações de energia Eléctrica).

Os aparelhos de aquecimento e chuveiros eléctricos devem ter uma ligação fixa. Não podem ser ligados através de uma ficha e tomada. Os aparelhos de aquecimento devem ser controlados através de um interruptor no exterior da casa de banho ou por um interruptor com um cordão.

Os aparelhos de aquecimento de água ou chuveiros eléctricos devem ser ligados por um circuito próprio e protegidos por um aparelho diferencial de alta sensibilidade.

Todas as linhas de transporte e distribuição de electricidade são perigosas. No entanto, quanto mais elevada é a diferença de potencial a que dois pontos do corpo humano ficam submetidos, mais elevada é a corrente que circula (lei de Ohm) e, por conseguinte, mais graves são as lesões provocadas por essa mesma corrente.

Por outro lado, à medida que a tensão aumenta a possibilidade de existir uma descarga por arco eléctrico também aumenta e, por conseguinte, as distâncias a guardar têm de ser maiores.

A forma de evitar um acidente eléctrico é garantir as seguintes distâncias mínimas às linhas eléctricas de média tensão:

>Relativamente ao solo: 6 metros

>Relativamente a estradas: 7 metros

>Relativamente a árvores: 2,5 metros

>Relativamente à cobertura de edifícios: 4 metros


Para outros níveis de tensão recomenda-se a consulta quer do Regulamento de Segurança de Linhas Eléctricas AT (Decreto Regulamentar nº 1/92, de 18 de Fevereiro) quer do Regulamento de Segurança de Redes de Distribuição BT (Decreto Regulamentar nº 90/84, de 26 de Dezembro).

Simulador de potência e consumoCompare o seu consumo


 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.