investidores > Equipa DRI > Direcção de Relações com Investidores da EDP

Direcção de Relações com Investidores da EDP

A Direcção de Relação com Investidores tem como missão assegurar a comunicação com analistas e investidores das sociedades do Grupo, com o objectivo de garantir a sustentabilidade da imagem e a notoriedade da EDP, e de responder aos requisitos de informação das entidades reguladoras e de supervisão financeira.

Miguel Viana
Director

Miguel VianaO Miguel Viana ingressou na EDP como Director de Relação com Investidores em 2006. Anteriormente trabalhou como analista sell side durante 12 anos em diversas casas de investimento tal como Santander, Espirito Santo e BBVA, cobrindo vários sectores e empresas, nomeadamente Utilities e EDP nos últimos anos. Miguel Viana possuí uma licenciatura em Economia pela Universidade Nova de Lisboa e uma pós-graduação pelo ISCTE.

Noélia Rocha
Secretária

A Sónia Pimpão ingressou na EDP como membro da Direcção de Relação com Investidores em 2008. Anteriormente trabalhou como analista sell side durante 9 anos, primeiramente na Fincor e nos últimos 7 anos no Santander, analisando várias empresas de diversos sectores (tais como utilities, pasta e papel, retalho e construção). Possui uma licenciatura em Economia e Gestão de Empresas pela Universidade Nova de Lisboa e uma pós-graduação em Análise Financeira pelo ISEG.

A Maria João Matias é membro da Direção de Relação com Investidores desde Abril de 2015, tendo anteriormente trabalhado na área de Planeamento e Controlo da EDP Comercial entre 2011 e 2015. Antes de integrar a EDP, a Maria João foi consultora no departamento de Corporate Finance na KPMG durante três anos. Tem uma Licenciatura em Gestão e Mestrado em Finanças pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa. 

O João Machado ingressou na EDP em 2009, tendo iniciado funções na Direcção de Relaçao com Investidores em 2014. Na EDP, colaborou na Unidade de Negócio de Gestão de Energia para o negócio Ibérico. Anteriormente, trabalhou como consultor na Ernst & Young. Possui uma licenciatura em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e um mestrado em Gestão Internacional pelo ISCTE.

O Sérgio Tavares iniciou a sua actividade na Direcção de Relação com Investidores em Outubro de 2015. Na EDP, trabalhou também em gestão de tesouraria, área que ingressou em 2010. Anteriormente, trabalhou na área de planeamento e controlo do grupo CUF, 2009. O Sérgio tem uma licenciatura e mestrado em gestão pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa e concluiu o Programa Avançado de Marketing pela Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica. 
 

POLITICA DE RELAÇÃO COM INVESTIDORES

A função primordial da Direcção de Relação com Investidores consiste em actuar como interlocutor entre o Conselho de Administração Executivo da EDP e os investidores e os mercados financeiros em geral, sendo responsável, no âmbito da sua actividade normal, por toda a informação disponibilizada pelo Grupo EDP, quer no que se refere à divulgação de informação privilegiada e de outras comunicações ao mercado, quer no que respeita à publicação das demonstrações financeiras periódicas.

A EDP tem como objectivo que a comunicação com o mercado seja realizada mediante a elaboração de informação objectiva, transparente e compreensível por todos os stakeholders e agentes ligados aos mercados financeiros.

Tal só será possível através da prossecução de uma política de reporte financeiro baseado na transparência e consistência de informação fornecida a investidores e analistas, tal como tem vindo a ser realizado pela empresa.

Assim sendo, a empresa tem realizado sistematicamente um esforço no sentido de satisfazer as necessidades de investidores e analistas, o que não se revela uma tarefa fácil devido à complexidade que o sector apresenta, sempre no intuito de promover laços de confiança com os agentes e mercados financeiros.

Assim sendo os princípios primordiais da Política de IR da EDP baseiam-se em:

• Credibilidade e fiabilidade

• Transparência

• Consistência

• Objectividade

• Abrangência e inteligibilidade

• Disponibilidade e abertura

• Igualdade de tratamento


 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.